Início » História » Apontamentos históricos do Pe. Jorge de Oliveira » Água potável

Água potável

fonte11A freguesia de Alvalade tem bons e abundantes nascentes de água potável. Somente para os lados do Carapetal e da ribeira de Messejana há nascentes de água salgada. Em 1908, Alvalade abastecia-se de água potável na fonte Branca, que tinha as suas bicas de pressão alimentadas por uma pequena nascente de boa água; na fonte da Bica, poderoso nascente de boa qualidade, localizada na cerca da Bica, aonde haviam duas bicas, tanque-bebedouro para o gado e tanque para lavagem de roupa – o lavadouro. Quando se construiu a linha do Sado, esta fonte foi deslocada para onde estava a fonte Branca, e aí se encontra actualmente. Havia ainda água potável no poço de Nossa Senhora, ao Sul da vila, nascente quase superficial, de que muita gente ainda hoje se abastece. Estas águas são, como quase todas aqui, um pouco “ácidas”.

Em geral, a água dos poços encontra-se a 12 metros de profundidade, e é salobra. Como nem todas podem lavar roupa no lavadouro, vão lavá-la às ribeiras, o que conspurca as águas, tornando-as impróprias para os próprios animais. As águas da ribeira do Roxo, estão inquinadas pelas lavagens das minas de Aljustrel, de modo que não só a fauna e a flora do leito da ribeira se perdeu, como também a fauna piscícula a jusante, até Alcácer do Sal. Em Aldeia de Ermidas, há uma fonte abundante, de mergulho, a N.W. e dentro da povoação há um poço. Em 1939, foi construído, com a comparticipação do Estado, um fontenário coberto, ao Sul da Aldeia. A Estação de Ermidas é também muito abundante em água potável. A estação do caminho de ferro tem um poço que abastece todos os serviços de máquinas, fornecendo também água à trincheira, durante o Verão. Há ali muitos poços particulares. Em 1944, foi ali construída fonte pública para abastecimento da população.

Alvalade, vila – Fontes públicas: Fonte da Bica, junto ao chafariz com duas bicas; Estação dos Caminhos de Ferro, 1 bica; Poço de Nossa Senhora.

Aldeia de Ermidas: Chafariz

Vale de Santiago: Chafariz

Borbolega: Água férrea

A água da Caniceira é transportada para Ferreira do Alentejo e Beja e vendida em benefício dos estabelecimentos de beneficência.

_ Apontamentos históricos do Padre Jorge de Oliveira (1865/1957), pároco de Alvalade entre 1908 e 1936, para uma monografia que não chegou a publicar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.