Início » Últimas » Datas históricas de Alvalade

Datas históricas de Alvalade

praca41234 – Alvalade torna-se definitivamente terra portuguesa após D. Paio Peres Correia, Mestre da Ordem de Santiago, ter conquistado a praça de Aljustrel aos mouros, no reinado de D. Sancho II.

1273 – Alvalade é doada à Ordem Militar de Santiago da Espada, por D. Afonso III.

1304 – A 10 de Março, o rei D. Dinis abdica do direito de pousada sobre Alvalade, respondendo favoravelmente a um pedido de D. João Osório, Mestre da Ordem de Santiago.

1327 – Surge a primeira referência escrita à comenda de Alvalade através dos Estabelecimentos de D. Pero Escacho, Mestre da Ordem de Santiago, promulgados a 26 de Maio, onde se regulamentam as rendas que o comendador poderia usufruir.

1490 – Visitação da Ordem de Santiago efectuada por Francisco Portocarreiro, cavaleiro da Casa Real,  e Afonso Gondim, prior e beneficiado da Igreja de Almada, sendo Brás Álvares o escrivão escolhido.

1510 – Em Santarém o rei D.Manuel I concede foral a Alvalade em 20 de Setembro.

1510 – Visitação à comenda de Alvalade efectuada pelo Grão-mestre da Ordem Militar de Santiago da Espada, D.Jorge de Lencastre (filho legitimado do rei D.João II), acompanhado por D. João de Braga, Prior-mor da Ordem, e Francisco Barradas, seu chanceler.

1515 – Morre D. João de Sousa, comendador de Alvalade. É sepultado em Ferreira do Alentejo onde residia. Cristovão Correia é agora o novo comendador.

1515 – A carta de foral é publicada na câmara de Alvalade no dia 26 de Setembro através de um traslado feito a partir do documento original, na presença de um representante do rei, do procurador do concelho, da vereação, do representante do comendador, do clero local e de muitos homens bons e povo da vila.

1533 – Visitação aos bens espatários da comenda de Alvalade no dia 17 de Outubro efectuada por Álvaro Mendes, cavaleiro da Ordem de Santiago, e Afonso Rodrigues, prior da Igreja de S. Pedro de Palmela, visitadores da comarca do Campo de Ourique. O comendador de Alvalade era Francisco Correia.

1565 – Visitação da Ordem de Santiago nos primeiros dias de Abril ao património da comenda alvaladense efectuada por Estevão de Brito, comendador de Panoias e de Faro, e por Mestre Gaspar, prior da Igreja de Santa Maria da Graça de Setúbal. Encontrou-se a comenda vaga em virtude do falecimento do comendador Francisco Correia.

1570 – Ano provável da conclusão da construção da Igreja da Misericórdia.

1687 – A ermida de S. Roque, no Faial, encontrando-se em estado de pré-ruína, sofre obras profundas de restauro por iniciativa do prior Pedro Fialho, pároco de Alvalade.

1689 – Visitação da Ordem de Santiago aos seus bens na comenda de Alvalade, efectuada pelo visitador José Pires no dia 14 de Abril.

1749 – Alvalade recebe a visita de um prelado pela primeira vez na sua história, com a vinda de D.Frei Miguel de Távora, numa altura em que a região ainda pertencia à arquidiocese de Évora (desde 1540).

1755 – O terramoto do dia 1 de Novembro provoca enormes estragos em toda a vila. Habitações, edifícios públicos, templos e pelourinho sofrem danos avultados.

1781 – Restaurada a diocese de Beja (1770), o bispo D. Frei Manuel de Cenáculo Villas Boas visita Alvalade em missão pastoral.

1831 – A câmara de Alvalade jura fidelidade ao rei D. Miguel I em 9 de Outubro.

1833 – Última inspecção da Ordem de Santiago à comenda de Alvalade no dia 20 de Maio, efectuada pelo visitador Manuel da Costa Pereira, freire da ordem, prior da igreja matriz de Ferreira do Alentejo e juiz da comarca, acompanhado pelo seu secretário António Lindoso.

1833 – O Duque da Terceira entra em Alvalade no dia 18 de Julho.

1834 – D.Miguel pernoita em Alvalade no dia 31 de Maio quando efectuava o trajecto entre Évora e Sines, a caminho do exílio.

1836 – A 8 de Março a câmara alvaladense lavra e envia um protesto ao governo, contra Luis Magro Soares, de Messejana, acusando-o de espalhar o boato de que aquando da aclamação de D. Miguel o povo de Alvalade teria feito um boneco de palha com o nome de D. Pedro e simulado o seu fuzilamento na praça pública.

1836 – É extinto o concelho de Alvalade no dia 6 de Novembro. Alvalade e Roxo são incorporadas como freguesias no concelho de Messejana.

1854 – É construído o actual cemitério da vila, nos antigos terrenos da ermida de S. Pedro, desaparecida em finais do século 18.

1855 – É extinto o concelho de Messejana e as freguesias de Alvalade e Roxo transitam para o vizinho concelho de Aljustrel no dia 24 de Outubro.

1861 – No dia 4 de Junho o Governo Civil de Beja extingue a Santa Casa da Misericórdia de Alvalade e confrarias, e todos os seus bens (móveis e imóveis) entram para a posse da Casa Pia de Beja.

1871 – A freguesia de Alvalade é transferida para o concelho de Santiago do Cacém no dia 18 de Abril.

1890 – Um violento incêndio na Igreja de Nossa Senhora do Roxo deixa-a praticamente destruída e sem condições para a pratica de culto, ditando assim o início da sua decadência e desaparecimento.

1914 – O comboio pisa solos alvaladenses pela primeira vez no dia 23 de Agosto com a abertura do troço Funcheira-Alvalade, e são inauguradas as Estações dos Caminhos de Ferro e do Telégrafo-Postal. A partir do mesmo dia Alvalade passa a ter também iluminação pública nas principais ruas da vila.

1915 – No dia 1 de Agosto o comboio chega à charneca do Cartaxo, marcando simbolicamente o nascimento da actual Vila de Ermidas-Sado (Ermidas-Gare inicialmente), nessa altura um lugar da freguesia de Alvalade.

1916 – É adquirido e colocado o relógio na torre sineira da igreja matriz.

1918 – O conjunto Fonte e Lavadouro da Bica é construído pelos Caminhos de Ferro Portugueses.

1924 – É instalada a Guarda Nacional Republicana.

1933 – É fundada a Sociedade Recreativa Alvaladense no dia 15 de Abril.

1933 – Através do Decreto nº 23122 o pelourinho é classificado como Imóvel de Interesse Público no dia 11 de Outubro.

1940 – No dia 28 de Dezembro são feitas as primeiras detenções pela G.N.R. de Alvalade na sequência da revolta social que ficou conhecida como o “Tumulto dos Tacos”, resultante da grave crise económica existente na região provocada pela Segunda Guerra Mundial. Foram presos vinte e sete trabalhadores rurais na herdade do Monte Branco.

1941 – O “Tumulto dos Tacos“ adquire contornos incontroláveis para a pequena força de efectivos da G.N.R. de Alvalade, e no dia 5 de Janeiro são deslocados reforços policiais da G.N.R., da P.S.P. e vários agentes da P.V.D.E. para Ermidas-Sado, tendo sido efectuadas várias dezenas de detenções.

1941 – Alvalade é fustigada por um violento ciclone no dia 15 de Fevereiro, danificando muitas habitações e edifícios públicos da vila.

1941 – Em 27 de Dezembro de 1941 foi desmontado o telégrafo na Estação de Telégrafo-Postal e montada a cabine telefónica, que abriu ao serviço no mesmo dia.

1943 – Um grupo de alvaladenses funda a Casa do Povo de Alvalade.

1943 – Em Janeiro de 1943, a Estação de Telégrafo-Postal foi renovada e transferida da rua de Lisboa para a rua de S. Pedro, onde iria permanecer meio século.

1952 – Abertura ao trânsito da Ponte dos Arcos.

1953 – Em resultado de um crescimento económico e demográfico bastante sólido e rápido, Ermidas-Sado adquire a sua autonomia e independência administrativa em relação à freguesia de Alvalade no dia 24 de Abril, data em que é criada a freguesia de Ermidas-Sado.

1954 – Por escritura de 13 de Abril de 1954, lavrada em Santiago do Cacém, foi constituída a Associação de Regantes de Campilhas e S. Domingos, actualmente designada como Associação de Regantes e Beneficiários de Campilhas e Alto Sado (ARBCAS).

1956 – A 29 de Junho, é inaugurado o Cine-Alvalade com o filme “O Escudo Negro de Falworth”.

1957 – No decurso de uma intervenção de conservação no edifício dos antigos Paços do Concelho, o pelourinho é desmantelado e removido do plinto onde se encontrava e as suas peças são depositadas no cemitério, onde vão permanecer até meados dos anos oitenta.

1958 – No dia 26 de Janeiro foi inaugurada a rede eléctrica de Alvalade.

1959 – A primeira lista telefónica de Alvalade data de 1 de Abril com a rede disponível entre as 8 e as 24 horas.

1960 – Foi inaugurada a rede de abastecimento de água canalizada na vila no dia 17 de Janeiro.

A 10 de Março é assinada a escritura que marca o nascimento da ECA – Empresa de Concentrados de Tomate de Alvalade, com a finalidade de produzir e comercializar concentrados de tomate.

1964 – É inaugurada a sede da Casa do Povo, na Praça D. Manuel I.

1968 – É fundado o Futebol Clube Alvaladense no dia 19 de Dezembro.

1995 – Alvalade é reelevada novamente à categoria de “Vila” no dia 21 de Junho, que havia perdido aquando da extinção do concelho em 6 de Novembro de 1836.

1999 – No dia 22 de Outubro de 1999, é inaugurada a nova estação dos CTT, na rua Duque da Terceira, nº 19 – A.

1999 – É fundada a Associação Cultural Amigos de Alvalade no dia 11 de Novembro.

2000 – Em Setembro o pelourinho de Alvalade é restaurado pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém e recolocado no centro da Praça D. Manuel I. Este acontecimento serve de mote para a criação da feira medieval de Alvalade que pretende assinalar anualmente a outorga do foral.

2001 – Em 20 de Novembro foi criada a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alvalade.

2003 – É inaugurado o novo Centro de Dia de Alvalade no dia 31 de Maio.

2003 – A corporação de Bombeiros de Alvalade foi homologada em 5 de Novembro.

2004 – A Ponte Romana é classificada como Imóvel de Interesse Municipal.

2006 – A 15 de Outubro nasce a associação ”Os Barrigotos – Associação Recreativa de Alvalade”.

2013 – No dia 12 de Abril é encerrada e extinta a estação de correios de Alvalade, passando os serviços a ser assegurados pela papelaria Nobre.

2013 – A igreja matriz de Alvalade foi classificada como imóvel de interesse público, pela portaria nº 227/2013, publicada em Diário da República de 12 de Abril.

2015 – A Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI) de Alvalade, foi inaugurada no dia 28 de Janeiro.

2017 – O relvado sintético instalado no Campo Municipal de Alvalade foi inaugurado no dia 22 de Julho.

2017 – No dia 4 de Dezembro, o Posto de Correios de Alvalade é transferido da Papelaria Nobre para o Quartel dos Bombeiros Voluntários de Alvalade.

2018 – A nova Extensão de Saúde de Alvalade, instalada na cantina da antiga escola primária, foi oficialmente inaugurada no dia 23 de Maio pela Secretária de Estado da Saúde, Rosa Valente de Matos, acompanhada pelo Presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo, José Robalo. A obra orçou em cerca de 228 mil euros e vai servir 1.900 utentes.

 

_LPR

5 Respostas a Datas históricas de Alvalade

  1. José Raposo Nobre Responder

    28 de Dezembro de 2013 em 15:45

    Mais uma vez tenho de felicitá-lo pelo magnifico trabalho sobre a história da nossa freguesia, continue o seu Alvalade.info é indispensável para a divulgação desta freguesia.
    JRN

    • admin Responder

      28 de Dezembro de 2013 em 19:27

      Muito obrigado, Sr. Nobre.
      _LPR

  2. Manuel F. Neves (Lito) Responder

    28 de Dezembro de 2013 em 17:09

    Boa tarde a todos!
    Só uma correcção:
    Nasci em 1945 e, em 1951/1952(?), meu pai comprou a um senhor com o nome de Arménio uma casa comercial, localizada na Rua 23 de Agosto de 1914, com o nome de “Casa Azul”, hoje, propriedade do Sr. José Nobre. Nesse estabelecimento já, então, existia um telefone de parede e que tinha o nº: 6.
    Portanto, daqui a minha correcção, quanto à data da existência de telefones em Alvalade-Sado. Em 1951, já existiam telefones particulares na nossa terra!
    Abraço, do;
    Lito

    • admin Responder

      28 de Dezembro de 2013 em 19:27

      Tem razão. O dia 1 de Abril de 1959 marca a data da primeira lista telefónica de Alvalade e não os primeiros telefones. Já fiz a correcção. Muito obrigada pela chamada de atenção.
      _LPR

  3. José Raposo Nobre Responder

    29 de Dezembro de 2013 em 17:46

    Ao Manuel Fernandez Neves (Lito) quero dizer que me lembro bem do seu nascimento. Era empregado do Sr. Inácio Cabrita e estava na Padaria a substituir a Maria Emília, quando chegou a noticia do parto. Voltei à loja e disse aos colegas “nasceu um espanholito”. A seguir, tanto ao bebé, como depois em criança e homem, sempre foi “Lito”, grande amigo do m/falecido cunhado Chico Garcia. Terei sido o padrinho?
    Sobre o telefone confirmo o que diz o Lito. No Snr. Inácio era o 14, o meu sogro era o nº 12. Eu casei em 1958 e anos antes já falava com a futura esposa pelo telefone, que só se podia utilisar quando o Correio estava aberto. Só ficavam ligados a Santiago para a rede nacional o Posto da GNR e o Dr. Fernandes. O Correio de Alvalade tinha apenas uma caixa para a rede local, a qual comunicava com a rede nacional por comando manual.
    JRN

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.