Início » História » Apontamentos históricos do Pe. Jorge de Oliveira » Episódios de linguagem

Episódios de linguagem

vista19621Factos acontecidos em Alvalade, entre pessoas conhecidas.

Na padaria:

Freguês: Venda-me um pão

Caixeiro: D’ois ?

Freguês: Não, quero só um.

Caixeiro: Mas d’ois ?

Freguês: Já lhe disse homem, que quero só um.

Caixeiro: Rijo ou mole ?

Freguês: Mole.

Caixeiro: Então é d’ois.

(ois = hoje)

Numa barraca de bebidas, na feira de Julho. Sentaram-se a uma mesa, separados por um copo de cerveja e uma chávena de café, dois lavradores muito conhecidos de todos. O criado deitava açúcar no café, e um deles dizia: “tem abondo; não gosto do café muito doce”. Voltando-se para o parceiro, diz-lhe com cara de caso: “Ó compadre, olhe que acontecem às vezes coisas do diabo. Esta noite fui para casa já um pouco tarde, pois seriam onze horas quando abali. Ao chegar à Defesa, senti uma grande estrampolida e assusti-me: Pari, olhi para trás e vi um burro”. O parceiro, pousando o copo e sentindo a cerveja já perto do estômago acode: “Pois amigo José o caso não é para menos. Numa idade dessas, já durázio, parir um burro, é caso sério…!”.

 ————————–

Mestre Ramos, à porta da sua barbearia, vendo passar o seu vizinho, que é tido por «planeta», dispara-lhe: “Então vizinho João, o que nos diz ao tempo?” O vizinho João estacou, pôs o chapéu alto de aba larga sobre a nuca, espetou no céu os olhos astronómicos e respondeu com catadura magistral: “É meu opinião que amanhã temos água, se não for ainda esta noite. A ribeira já leva um bom corrente e temos cheia com certeza”. Mestre Ramos olhou para o cata-vento da torre (da Igreja Matriz) e riu-se.

_Apontamentos históricos do Padre Jorge de Oliveira (1865/1957), pároco de Alvalade entre 1908 e 1936, para uma monografia que não chegou a publicar. 

3 Respostas a Episódios de linguagem

  1. Matilde Oliveira Responder

    7 de Maio de 2015 em 11:45

    Gostei de ler, são episódios muito engraçados com uma linguagem que ainda se usa muito em algumas zonas do alentejo.

  2. Maria Dores Carvalho Amado Responder

    7 de Maio de 2015 em 22:49

    Episódios dos nossos antepassados….muitas palavras q cairam em desuso são mt interessantes…

  3. Maria do Carmo Candeias Responder

    8 de Maio de 2015 em 12:24

    Lindo. Património que deve ser preservado, para isso tem que haver gente a colaborar. Obrigado Luis este assunto interessa-me, quero um dia fazer uma pesquisa e escrever algo sobre este tão rico vocabulário Alentejano. Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.