Início » Tradições » Os Contratos da Páscoa

Os Contratos da Páscoa

 

É uma das tradições Alvaladenses de que ainda se fala, mas que infelizmente deixou de existir.

Se houvesse possibilidade de sensibilizar os nossos jovens para o retomar desta tradição, seria importante.

Mas não só os nossos jovens. As pessoas adultas poderiam igualmente participar neste tipo de iniciativa, que certamente daria nova motivação à população. 

O contrato era efectuado entre duas pessoas e em jogo estava um pacote de amêndoas. No momento do Contrato os dois contraentes, davam as mãos direitas dizendo: 

Contrato, Contrato, Contrato fazemos – No dia de Páscoa Oferecemos”. 

Estava então celebrado o contrato verbal. No dia de Páscoa, os dois contraentes tentavam encontrar-se. Corriam as ruas, e escondiam-se. O primeiro que avistasse o outro, dizia-lhe – “Oferece e Reza”.

E estavam ganhas as amêndoas, combinadas no dia da efectivação do dito Contrato. 

 

_Luis M. Silva                                                                                                  

7 Respostas a Os Contratos da Páscoa

  1. Preciosa Responder

    19 de Março de 2010 em 22:10

    Os Contratos da Páscoa!

    Muito giro sim senhor, obrigada por me ter lembrado algo tão engraçado, que me trouxe recordações que me são tão queridas. Os contratos da Páscoa. Acredite que me proporcionou um bom momento, a recordação de momentos agradáveis da minha infancia que pareciam estar no esquecimento, e que você Luís me trouxe de volta.
    Obrigada!

    Já agora passo também a dizer-lhe que estou contente por o “Alvalade.info” estar de volta, com um formato novo, embora menos bonito (é a minha opinião, pois achava o anterior espectacular…), mas está de volta!

    Como alvaladense que sou, agrada-me que a nossa Alvalade saia para além das suas fronteiras, ao encontro das suas gentes que daí saíram, e de outras gentes, em outros lugares, outros distritos e continentes.

    Obrigada pela parte que me toca, pelos bons serviços que está prestando, a Alvalade e aos alvaladenses.

    Não tenho dúvida, que a sua dedicação, e empenhamento serão reconhecidos por muita gente.

    Pela minha parte, bem haja!
    Boa sorte e animo! Animo!

    Preciosa

  2. Margarida Responder

    6 de Abril de 2010 em 10:37

    Andava eu à procura de informação sobre os “contratos da Páscoa” quando me deparo com este post, o qual não posso deixar de comentar 🙂
    Sou de Faro, sempre aqui vivi e cá em casa desde sempre se fez este tipo de contratos. Duas pequenas variantes:

    “Contratos, contratos, contratos faremos; Sábado aleluia, desmancharemos”

    E no seguimento disto, vence quem primeiro ordena que o outro se ajoelhe. Até à Pascoa e, sempre que as partes se encontram, a ordem é dada, como que a relembrar o pacto feito.

    No Sábado diz-se “Ajoelha e oferece”.

    Quem “ganhar” recebe as amêndoas; quem “perder” tem de as oferecer.

  3. Ceu Bougron Responder

    7 de Maio de 2010 em 17:57

    oferece e reza quantas vezes pronunciei esta frase. Meu Deus que alegria eu encontro com tudo o que leio neste site. Com efeito nesta mesma altura me vem à memoria um guarda que se chamava Messias e que coitado era obrigado a comprar-me amendoas todos os anos. De toda a maneira ele nunca conseguia ganhar pois eu sabia aonde ir para o fazer perder. Claro ao posto da guarda pois sabia que ele nao podia de lá sair.
    Até breve

  4. Luisa Soares (Jija) Responder

    4 de Fevereiro de 2011 em 23:54

    Enquanto ai vivi fiz sempre contratos, o que eu gostava quando os ganhava. E ria quando dizia “ajoelha e reza”. Os meus filhos e netos também fazem e quando nascer o meu bisneto tambem vai aprender.

  5. Rui (Lagos) Responder

    10 de Abril de 2011 em 11:02

    Hoje também vim à NET procurar “os contratos de páscoa” para tentar recordar-me do seu conteudo, já vi que em cada zona o espirito é o mesmo apesar de algumas formas diferentes. Do que me recordo o contrato era celebrado da seguinte forma:
    “CONTRATO, CONTRATO, CONTRATO FAREMOS, SÁBADO ALELUIA DESMANCHAREMOS, DOMINGO DE PÁSCOA PAGAREMOS” a partir do momento da celebração tinhamos o direito sempre que encontrassemos a outra parte de dizer “AJOELHA-TE” só se podia dizer 1 vez por dia, excepto se tivessemos debaixo de telha (zona de salvação). É claro no Sábado era um verdadeiro jogo do esconde para tentar surpreender o outro CONTRAENTE. E no Domingo era para cumprir o CONTRATO!!
    A todos um bem-haja!!

  6. Maria Dores Amado Responder

    20 de Abril de 2011 em 21:59

    Ou eu me perdi no tempo, ou aprendi mal a lengalenga, pois parece-me que era assim : – contrato, contrato , contrato faremos, no dia de Páscoa ofereceremos……Boa Páscoa a todos.

  7. Luisa Soares (jija) Responder

    12 de Agosto de 2011 em 0:33

    Sobre as amendoas eu continuo a fazer o contrato com filhos e netas, assim eles recebem as amendoas a jugar, tem mais interesse ao brincarmos.Só que no meu tempo eu ficava feliz por ganhar as amendoas não percebia que todos deixavam eu ganhar, mas como diz o Rui e bem, era dito cada vez que se via a pessoa que tinhamos feito contrato “ajoelha-te”, eu escondia-me atrás da porta do café do meu tio Soares para mandÁ-los ajoelhar. Se cada adulto fizer com filhos ou netos como eu faço depois fazem uns com os outros, há aí pessoas que o faziam em jovens em tudo é preciso vontade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.