Início » História » Apontamentos históricos do Pe. Jorge de Oliveira » As Cavalhadas

As Cavalhadas

rua.s.pedroEm todas as igrejas ou capelas existentes na área desta freguesia, se faziam, periodicamente, as festas dos respectivos oragos, com mais ou menos solenidade. Essas festas eram sempre pretexto para a reunião não só dos devotos, mas também de forasteiros que aproveitavam o ensejo para se encontrar com pessoas amigas ou conhecidas e também para se divertirem, porque eram frequentes as cavalhadas e as touradas, dada a abundância de gado adequado que lhes permitia tais divertimentos. Havia vacadas no Roxo, em Vale de Zebro, nos Coitos, em Conqueiros, nas Almargens, na Ameira, nas Borbolegas, na Defesa, no Faial e na Boavista e como nessas já recuadas épocas, os proprietários viviam e residiam nas suas Herdades e quase todos eles possuíam excelentes montadas, de que faziam gala e que lhes serviam para estes desafios.

_Apontamentos históricos do Padre Jorge de Oliveira (1865-1957), pároco de Alvalade entre 1908 e 1936, para uma monografia que não chegou a publicar.

Uma Resposta a As Cavalhadas

  1. Luis Martins da Silva Responder

    4 de Janeiro de 2014 em 21:24

    Muito interessante. Nasci, não nas Almargens, mas sim nos Almargens, creio que uma e outra designação se refere ao mesmo “monte” ou herdade. Nunca me lembro de ouvir falar nas cavalhadas, pelo que, devem ter-se realizado em épocas muito anteriores. Mas não deixa de ser interessante. Ouvia por vezes falar nas festas ou romarias da zona, uma das quais a de São Romão, pequeno lugar da freguesia de Panoias(?), concelho de Ourique, e onde existe uma igreja dedicada ao Santo.
    LMS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.