Início » Últimas » A Ponte Seca

A Ponte Seca

marcode56Ao fundo, altiva e imponente, a Ponte dos Arcos, obra pioneira e marcante do prestigiado Prof. Edgar Cardoso esperava que os dois viadutos que a antecedem, no sentido Alvalade – Mimosa, fossem concluídos para finalmente a vila e a região tirarem partido da EN 262 e quebrarem o isolamento que as impiedosas e quase sempre prolongadas cheias do rio Sado impuseram durante muito tempo travando o desenvolvimento de uma freguesia rural, outrora concelho, que reclamava e lutava contra a falta de acessibilidades que tardaram em chegar.

Em Março de 1956, já o engenheiro Manuel Sabino Sequeira, ao serviço da extinta JAE, tinha construído o viaduto sobre a linha férrea na antiga Cerca da Bica, cuja obra foi concluída em 21 de Junho de 1953. O último dos três viadutos, conhecido em Alvalade como a “Ponte Seca” (em construção na imagem), teve desenho e direcção também a cargo de Manuel Sabino Sequeira, engenheiro projectista prestigiado com obra vasta e importante no território nacional, e foi construído entre 2 de Fevereiro de 1955 e  13 de Dezembro de 1957.  Um tempo longo, a que certamente não foram alheias as dificuldades económicas da época e alguns atrasos provocados pelas cheias volumosas do Sado que muitas vezes se estendiam por grande parte do Inverno, como é o caso do exemplo que a fotografia documenta.

_LPR

Agradecimento: Ao Sr. Jorge Sequeira pela cedência da fotografia aqui publicada.

7 Respostas a A Ponte Seca

  1. Céu Bougron Responder

    6 de Dezembro de 2013 em 9:11

    Recordo-me muito bem desta construção. Nesta foto existem ainda algumas laranjeiras e a horta do sr Anibal. As recordações são imensas pois o meu pai todos os anos comprava estas laranjas e eu depois ia com ele.
    Sobretudo durante as férias do Natal apanhar as laranjas que ele carregava aos ombros até à estação dos caminhos de ferro para as enviar para a praça de Setúbal. Traziamos tambem para a minha mãe vender numa casinha de frutas na rua da cruz.
    Esta obra deu um grande desenvolvimento à nossa terra. Não me recordo se a ponte que estava por cima do caminho de ferro já existia ou se foi feita depois. O melhor foi depois quando abriram a estrada que vai para o Cercal. Mas isso foi muito mais tarde nos anos 60.
    Um bom dia a todos. Obrigado por este delicioso momento que acabo de passar.
    Até breve.

    • José do Rosário Responder

      6 de Dezembro de 2013 em 15:35

      Foi feita depois.

      • admin Responder

        6 de Dezembro de 2013 em 15:40

        O viaduto sobre a antiga linha férrea foi construído antes da ponte seca. Estava concluído em 21 Junho de 1953.
        _LPR

  2. Maria Dores Carvalho Amado Responder

    6 de Dezembro de 2013 em 10:52

    B. dia amiga e b.dia também a essas boas recordações. Lembro-me também de virmos do Monte da minha avó a pé pela linha férrea e de vermos os trabalhadores nessa azáfama constante da construção da ponte. Afinal, isso foi “ontem”, para nós nos lembrarmos tão bem !…… Também me lembro de atravessarmos o rio numa carrinha de tração animal e de irmos por dentro de àgua, quando já tinham acabado as enchurradas. Atrevessava-se assim a “rebêra” .. Termino como tu..”. .. Obrigado por este delicioso momento que acabo de passar”.

  3. Jorge Sequeira Responder

    6 de Dezembro de 2013 em 16:21

    Caro Luís Pedro Ramos:
    Agradeço mais esta sua referência à memória de meu Pai.
    Um abraço

  4. José Raposo Nobre Responder

    6 de Dezembro de 2013 em 17:54

    Vou aqui repetir o que há poucos anos escrevi. Quando foram projectadas a Ponte dos Arcos e o Viaduto sobre o c/ferro, estava previsto que entre estas Obras se construisse um Aterro, muitos alvaladenses que conheciam a intensidade das cheias do Sado logo avisaram que haveria problemas de inundação da linha férrea e até da Estação. Nesse Inverno houve uma das maiores cheias. O meu amigo Francisco Guerreiro, casado com a Profª Judite Sabino Louro, parente do Eng. Sabino, pediu-me que fizesse fotografias para mostrar aos Técnicos da Secção de Pontes da JAE. Como referência as oliveiras junto da via férrea e as Larangeiras do Snr. Costa convenceram os Técnicos a substituir o Aterro pelo Viaduto (Ponte Seca). Após a construção da Barragem da Rocha as grandes cheias deixaram de inundar a margem esquerda do Sado.
    JRN

  5. admin Responder

    7 de Dezembro de 2013 em 9:27

    Todas as vossas achegas são importantes e valorizam os artigos com informações complementares. Muito obrigação pela vossa participação.
    _LPR

Responder a Céu Bougron Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.