Início » Últimas » Alvalade assinalou os 180 anos da passagem e estadia de D. Miguel I

Alvalade assinalou os 180 anos da passagem e estadia de D. Miguel I

familiabragancaNo passado sábado, dia 31 de Maio, a Casa do Povo de Alvalade engalanou-se para assinalar o 180º aniversário da passagem e estadia do Rei D. Miguel I, deposto na sequência da guerra-civil de 1832/34, entre liberais e absolutistas. E se em 1834, Alvalade proporcionou ao Rei D. Miguel I uma estadia tranquila, acolhedora e garantindo que nada faltasse ao régio viajante e respectiva comitiva (para muitos terá sido a melhor recepção e acolhimento que teve ao longo do seu percurso entre Évora e Sines, onde embarcou para o exílio), 180 anos depois Alvalade honrou novamente os seus pergaminhos acolhendo calorosamente S.A.R. a Senhora Dona Isabel de Bragança, S.A. Dom Miguel de Bragança, Duque de Viseu, e muitos outros membros da Casa de Bragança, mas também o Embaixador do Luxemburgo, Paul Schmit, vários representantes da família Albino Figueira, descendentes dos Lança Parreira, a família Lobo de Vasconcellos, de Santiago do Cacém, entre muitos outros convidados, para um programa que pretendeu assinalar a efeméride e que teve o seu epicentro na sede da Casa do Povo e no local onde existiu a residência da família Lança Parreira, em plena praça D. Manuel I. A Câmara Municipal de Santiago do Cacém fez-se representar pelo Vereador da Cultura, Norberto Barradas.

O salão de festas da Casa do Povo, onde já se viveram muitos momentos altos da vida social e cultural de Alvalade, guarda agora mais uma página importante da História da freguesia. Naquelas paredes vão ecoar durante muitos anos as palavras simples e hospitaleiras dos anfitriões locais (presidentes da Casa do Povo e da Junta de Freguesia), mas também as duas comunicações/palestras brilhantes a cargo de Francisco Lobo de Vasconcellos e Manuel Braga da Cruz, sobre o percurso e estadia de D. Miguel I, a origem e as ligações familiares dos Lança Parreira e o enquadramento histórico e político do curto reinado de D. Miguel I e da sua vida no exílio.

No local onde esteve a residência da família Lança Parreira, que acolheu D. Miguel I no dia 31 de Maio de 1834, foi descerrado um painel evocativo da efeméride (na fotografia) assinalando e perpectuando a data das comemorações.

A presença de S.A.R. a Senhora Dona Isabel de Bragança conferiu um brilho muito particular às cerimónias, que pela sua simplicidade e simpatia ficará eternamente no coração e na memória dos alvaladenses.

_LPR

5 Respostas a Alvalade assinalou os 180 anos da passagem e estadia de D. Miguel I

  1. Mariana Banza Responder

    2 de Junho de 2014 em 12:20

    Quero daqui endereçar os MEUS PARABÉNS a todos quantos, de alguma forma, colaboraram para tornar possível esta efeméride.
    E simultâneamente agradecer a presença de S.A.R. Srª D.Isabel de Bragança, bem como de todos os outros mui ilustres visitantes.

    MUITO OBRIGADO por tornarem possível um evento que só contribuiu para prestigiar ALVALADE.

    Mariana Banza

  2. Manuel F. Neves (Lito) Responder

    2 de Junho de 2014 em 14:35

    Teria gostado mais que esta efeméride fosse assinalada no local onde, de facto, o rei pernoitou.
    Infelizmente, pessoas sem respeito pela história, permitiram que esse prédio tivesse sido destruído, em vez de recuperado.
    Foi um pouco da nossa identidade Alvaladense que se perdeu.
    Apesar de tudo, congratulo-me com a comemoração da data.
    Abraço, do;
    Lito

  3. Custódia Guerreiro Responder

    2 de Junho de 2014 em 17:00

    Parabéns a todos os alvaladenses que conseguiram realizar tão grande evento. Um abraço

  4. José Raposo Nobre Responder

    2 de Junho de 2014 em 18:41

    Quero assinalar que mais uma vez os Orgãos da Comunicação Social (Radio,TV e Imprensa) estiveram ausentes numa comemoração marcante na nossa história. Só estão interessados em divulgar desgraças, ou casos de pouco interesse publico como foi a transmissão em directo que a TVI fez há anos do Salão de Festas da Casa do Povo, quando um jovem de 10 ou 11 anos prativava roubos em várias residências da vila. Até a nossa Feira Medieval e as comemorações do Foral Manuelino raramente merecem transmissão.
    Sabemos que a Agência Lusa foi informada com antecedência do evento do passado sábado.
    JRN

    • Luisa Soares Monteiro Responder

      3 de Junho de 2014 em 10:42

      Eu própria tenho feito pedidos para a minha TV se deslocar nas Festas Medievais, mas tal não tem acontecido, preferem visitar as desgraças ou então falar de politica, mas este ano estou novamente a esforçar-me para a presença da televisão em Setembro. Sobre a visita de Dona Isabel de Bragança fiquei feliz pela sua deslocação a Alvalade.

Responder a Mariana Banza Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.