Início » História » Apontamentos históricos do Pe. Jorge de Oliveira » Efemérides de Alvalade (1139/1953)

Efemérides de Alvalade (1139/1953)

vista19621139 – 25 de Junho, a Batalha de Ourique em que D. Afonso I conquistou todo este  território aos mouros.

1191 – Os mouros conseguiram reavê-lo em grande parte.

1318 – Instituição da Comenda de Alvalade.

1439 a 1447 – As Ordenações Afonsinas coordenadas durante a regência do Infante D. Pedro, Duque de Coimbra, na menoridade de D. Afonso V, estabelecem ao concelho de Alvalade a obrigação de dar 12 besteiros, chamados do conto por o seu número estar marcado ou contado.

1510 – Em 20 de Setembro, D. Manuel I dá foral, em Santarém, à Vila de Alvalade.

1755 – O terramoto de 1 de Novembro arruinou a Igreja Matriz, a da Misericórdia, a Ermida do Espírito Santo, o pelourinho e algumas casas particulares.

1761 – O terramoto de 31 de Março fez estragos em Alvalade. Derrubou umas casas na Rua de Lisboa.

1792 – Pio VI concede o indulto de Altar privilegiado perpetuamente, ao altar das almas da Igreja Matriz.

1799 – Em uma lotaria do Estado, um dos prémios era a courela do Valdez ou Herdade do Valdez (actual herdade do Faial), a S. Roque avaliada em 1.400$00.

1821 – Alvalade (concelho) pertencia à Comarca de Ourique.

1833 – Em 18 de Julho, o Duque da Terceira, então Conde de Vila Flor, passou em Alvalade, com uma expedição militar que seguiu para Lisboa, que conquistou ou tomou em 24 de Julho.

1834 – No dia 31 de Maio, D. Miguel I, vindo de Évoramonte, ceou, pernoitou e almoçou no dia seguinte, em que partiu para Sines, aonde embarcou para o exílio, na corveta inglesa Stag.

Com a extinção das ordens religiosas e militares, foram também extintas as comendas.

1836 – Por decreto de 6 de Novembro, foi extinto o concelho de Alvalade, sendo incorporado no de Messejana.

1855 – Foi extinto o concelho de Messejana, passando Alvalade e Messejana para o concelho de Aljustrel.

1854 – Construção do cemitério público, no cerrado de S. Pedro, feito por subscrição pública e benzido pelo Padre Bernardo António de Sousa. Este terreno ou “Cerradinho” pertencia às freiras filhas do Capitão Dr. Domingos Ribeiro de Lima (consta do Livro de Mordomia de S. Pedro) em 1763.

1871 – Por decreto de 18 de Abril de 1871, Alvalade passou para o concelho de Santiago do Cacém.

1910 – No dia 29 de Junho foi inaugurado na Matriz um sino, fundido em Braga, nas oficinas de Rebelo da Silva & Cª.

A 5 de Outubro, deu-se a implantação da República.

1911 – Aforamento do Bairro de S. Pedro, para casas.

1913 – Foi colocado na torre da igreja paroquial, um sino cedido pelo Estado, vindo do Colégio de S. Fiel – Castelo Branco.

1914 – Em 23 de Agosto, inauguração do primeiro troço da linha do Sado, com terminus em Alvalade, iluminação pública e Estação de Telégrafo-Postal.

1916 – Foi colocado na torre da igreja matriz um relógio fabricado em Viseu, por A. Nelas.

1917 – Aforamento em glebas, dos baldios de Alvalade, pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém.

1918 – Em 28 de Setembro, inauguração da Fonte e Lavadouro público da Bica.

1919 – Em 19 de Junho, às 7.20 horas da tarde, caiu, na torre da igreja uma faísca eléctrica, que partiu o cata-vento, destruiu o pilar e penetrou na igreja lambendo, por completo, a douradura da cruz que serve nos enterros.

1920 – Criação do Posto da Guarda Nacional Republicana, que foi instalado em 1924.

1925 – Foram colocados letreiros (topónimos) em algumas ruas da vila.

1932 – Foi colocado o tabuleiro metálico comprado à C.P. na ponte de Ermidas – no Faial.

1934 – Comprou-se o tabuleiro metálico à C.P. destinado à Ponte no Sado, em Alvalade.

1937 – Foi assente a cobertura, no lavadouro público de Alvalade, e estabeleceu-se o Posto Experimental de Culturas Regadas. Foi criada a Província do Baixo Alentejo, tendo Beja como capital de Província.

1938 – O engenheiro Berger veio fazer os estudos para a estrada de Ermidas a Alvalade. Começou em 20 de Novembro e terminou em 3 de Março de 1939.

1939 – Concessão pelo Estado de 600.000$00 para a construção da estrada de Ermidas.

Fez-se o calcetamento da Rua de S. Pedro, em Alvalade, com xisto das pedreiras do Monte Novo das Almas, junto a Ermidas.

Em 1 de Junho, os serviços Telégrafo-Postais que estavam adstritos a Setúbal, foram transferidos para Beja, como capital de Província, ficando-lhe portanto subordinados, além dos já existentes, mais os concelhos de Alcácer, Grândola, Santiago do Cacém e Sines.

1940 – A Ponte do Faial foi bastante danificada por uma cheia da Ribeira do Roxo, em Janeiro.

Em 31 de Julho começou a construção da estrada de Ermidas a Alvalade.

Em 24 de Outubro, retirou para Aljustrel a brigada de engenheiros que aqui esteve algum tempo em estudos para a estrada de Alvalade a Aljustrel. Veio em 14 de Outubro.

Foi lançada pela Câmara Municipal de Santiago do Cacém, uma derrama de 7%, para melhoramentos públicos. A de Alvalade rendeu cerca de 85.000$00.

1941 – Em 28 de Janeiro, elevação da Estação de Telégrafo-Postal de Alvalade, de regional, para 4ª classe.

Desencadeou-se um violento ciclone, a 15 de Fevereiro.

Concedidos pelo Estado 50.000$00 para calcetamento das ruas de Alvalade.

Em 27 de Dezembro foi desmontado o telégrafo na Estação de Telégrafo-Postal e montada a cabine telefónica, que abriu ao serviço no mesmo dia.

1942 – Em 16 de Janeiro foi então retirado o telégrafo.

Em 27 de Janeiro começaram os trabalhos de ampliação do cemitério público.

Em Novembro realizaram-se os estudos do lanço da Estrada Nacional, de 2ª classe, nº 93, entre esta Vila e a aldeia de S. Domingos.

1943 – O proprietário da Herdade do Roxo, Manuel Colaço Mendes, mandou derrubar os restos da igreja paroquial (de Santa Maria do Roxo) que ainda se compunha de nave, capela-mor, sacristia e baptistério aproveitando os materiais de construção para outras edificações no Monte. No tempo do antigo dono, José de Mascarenhas Pacheco, houve litígio entre a Fazenda Nacional, como possuidora dos bens da antiga Ordem Militar de Santiago e o referido Pacheco que se apossou da igreja e terreno adjacente. Fez testamento contemplando a Misericórdia de Santiago do Cacém, presumo que para compensação do que absorveu. A questão protelou-se durante alguns anos, não manifestando o Mascarenhas Pacheco interesse em lesar a fazenda do Estado. O actual proprietário da Herdade do Roxo, Manuel Colaço Mendes, reside em Ferreira do Alentejo.

Em Janeiro foi remodelada e transferida a Estação Telégrafo-Postal de Alvalade, da Rua de Lisboa para uma casa sita na Rua de S. Pedro, fazendo esquina para a Rua Nova sendo chefe da mesma estação D. Maria Ângela Tavares da Costa de Oliveira.

Em Junho, foram calçadas as ruas Almirante Reis, Vasco da Gama e Luis de Camões com pedra de Santiago do Cacém.

Foi criada a Casa do Povo de Alvalade.

1944 – Em 26 de Abril, começaram por Alvalade os estudos da estrada nacional de 2ª classe para o Cercal, seguindo a orientação do Vale de Campilhas.

Em 1 de Maio, começaram em Alvalade os trabalhos preparatórios para a construção do canal para irrigação do Vale de Campilhas, dirigidos pelo engenheiro Rossa.

1945 – Em 12 de Janeiro nevou abundantemente das 10h40 às 11h20. As ruas, os telhados, as árvores e os campos ficaram cobertos de espessa camada. Os rapazes fizeram grandes bolas e bonecos. O frio que era intenso, abrandou. A 13, nevou abundantemente das 14 às 18 horas.

Em Março começaram, com a comparticipação do Estado, os trabalhos para o calcetamento das restantes ruas da Vila, que ainda não tinham sido calçadas ou reparadas, vindo a pedra do Algarve.

Ainda em Março foi criado pela Direcção de Saúde, um Dispensário anti-sezonático, em Alvalade, para ser instalado logo que haja o pessoal indispensável para o seu funcionamento, o que sucedeu em 8 de Novembro de 1945.

1946 – Em Junho começou a construção do novo edifício escolar, na estrada da Estação, no sítio da Carrasca, expropriado de um olival do Dr. Manuel Mateus.

1947 – Foi concluído o calcetamento das Ruas 31 de Maio e da Cruz.

1948 – Em Abril começou a construção do troço da estrada de Aljustrel, do Porto Beja aos Nabos.

Em Julho começou a construção da nova ponte do Roxo, no Faial.

Em Julho e Agosto fizeram-se reparações nas paredes do cemitério, que tinham caído.

1949 – Em Setembro foi aberta ao trânsito a ponte sobre a Ribeira do Roxo, no Faial.

Também em Setembro começaram as obras dos estábulos, no Campo de Culturas Regadas.

Dezembro – Começaram as obras de construção da ponte sobre o Sado, entre o Porto de Beja e o Porto Ferreira.

1950 – Dezembro – No dia 28, às 19 horas, desabou o telhado da Igreja Matriz.

1951 – Abril – Acabou a construção do edifício residência e secretaria do Posto de Culturas Regadas, assim como o estábulo e outras dependências  (silos, eira, arrecadações de máquinas, etc).

1952 – Junho – Acabou a construção da ponte do Sado, Porto Ferreira

Foram reparados os telhados da capela-mor, sacristias e capela de S. António; colocado novo telhado e soalhada a nave da igreja matriz e o coro e rebocado todo o edifício.

Começou a construção da ponte – passagem de nível sobre a linha do Sado, na Cerca da Bica.

Foi construída a casa do coveiro num recanto do Curral do Concelho.

Foi construído um sifão, sob o leito do Sado, próximo do pego dos Coitos, o qual fará parte do canal de irrigação do Vale de Campilhas.

Começou no ano anterior, junto a S. Domingos, a terraplanagem da futura estrada que ligará aquela aldeia a esta vila.

Os habitantes da Estação de Ermidas organizaram uma comissão para ali ser criada uma freguesia, a qual comissão está tratando dos trânsitos legais para tal fim.

Na Estação de Ermidas foi construída uma capela pela Sociedade Industrial Alentejo e Sado.

Também ali foi construído um cemitério, com a comparticipação do Estado.

1953 – Foi construído e colocado no cemitério desta vila (Alvalade) um portão de ferro.

Também foi construída uma casa para o coveiro em parte do antigo Curral do Concelho.

Foi feito novo pavimento na antiga igreja da Misericórdia, e colocada na parede esquerda a lápide sepulcral do seu fundador Frutuoso Pires.

Concluiu-se a ponte-passagem de nível, sobre a linha do Sado, próximo da Cerca da Bica, que fica fazendo parte da estrada que vem de Aljustrel e seguirá para S. Domingos.

Foi criada a freguesia de Ermidas-Sado, cujo território pertencia à freguesia de Alvalade. A sua linha divisória é a Ribeira do Roxo, até ao Faial. Daí sobe até à carreteira do Sobral Meio-Dia, atravessa o Sado e segue pela mesma carreteira pela Mal Assentada, Atalaia, Sesmaria, até ao limite com a freguesia da Abela.

_Apontamentos históricos do Padre Jorge de Oliveira (1865/1957), pároco de Alvalade entre 1908 e 1936, para uma monografia que não chegou a publicar.

 

2 Respostas a Efemérides de Alvalade (1139/1953)

  1. José Raposo Nobre Responder

    28 de Junho de 2014 em 17:53

    Estes escritos do Padre Jorge de Oliveira confirmam que foi a mais importante personalidade de Alvalade no Séc.XX.
    Obrigado ao Alvalade.info por nos transmitir o que constava na monografia que o Padre Jorge não conseguiu publicar.
    JRN

  2. Manuel F. Neves (Lito) Responder

    2 de Julho de 2014 em 14:27

    Admirável trabalho!
    Obrigado Luís pela publicação deste escrito do padre Jorge.
    Lito

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.