Início » Últimas » Pausa no alvalade.info

Pausa no alvalade.info

Doze anos consecutivos on-line e dez com o domínio alvalade.info (com vários formatos ao longo deste tempo), é altura de parar, reflectir e decidir sobre o futuro da página. A falta de tempo, alguma saturação e a desmotivação crescente aconselham uma pausa.

Por outro lado, os temas aqui abordados não parecem suscitar grande interesse na comunidade alvaladense, sobretudo junto dos residentes na freguesia. O património, o estado do centro histórico, as tradições, o museu e outras causas que o alvalade.info tem trazido aqui e pelas quais se batido ao longo destes doze anos de vida da página, não são, decididamente (e infelizmente, na nossa opinião), temas que preocupem grandemente a população residente.

Por todos estes motivos, não parece ser  razoável continuar o esforço, o tempo gasto, e os meios empregues com o alvalade.info.

Já o fizemos uma vez e vamos novamente parar e reflectir, mas a vontade de continuar é cada vez menor…

Com muitas dúvidas quanto ao futuro da página, para já a publicação de artigos está suspensa, sine die, a partir de hoje.

 

_LPR

51 Respostas a Pausa no alvalade.info

  1. Céu Bougron Responder

    10 de Abril de 2012 em 10:49

    Penso que seja um erro não insistir.
    Esta página vai faltar a todos os que estão fora da terra.
    É pena.
    Espero simplesmente que seja Até breve

  2. Francisco Lobo de Vasconcellos Responder

    10 de Abril de 2012 em 11:48

    Caro Luis Pedro,
    Vamos encarar isto como umas férias…todos necessitamos de férias, de algum descanso, de tempo para as nossas reflexões.
    Como tal, e para não repetir o que já disse anteriormente, aqui fica um até breve e boas férias!
    Abraço amigo

  3. José Raposo Nobre Responder

    10 de Abril de 2012 em 12:17

    Pelo que vejo e ouço diariamente sei quanto é importante para os Alvaladenses o seu Alvalade.info. Não desanime, nem sempre as pessoas sabem manifestar o agrado, como fez a amiga Céu.
    Agora que se prepara nova organização da festa dos Alvaladenses Ausentes, talvez na primeira quinzena de Agosto, era importante para a sua divulgação este meio de comunicação que todos os nossos ausentes acompanham diariamente.
    O m/Blog tem uma divulgação mais limitada e baseia-se mais em recordações e comemorações de datas, o seu está na luta pelos legitimos interesses da freguesia e já se tornou indispensável. Continue com força e espero que hajam mais apoios, Alvalade agradece.
    JRN

  4. António Palmeiro Responder

    10 de Abril de 2012 em 12:23

    É compreensivel a saturação, só quem não conhece pode estranhar.
    Penso no entanto e baseado na experiencia de outros blogues que habitualmente frequento e um em que colaboro, que talvez fosse possível aliviar um pouco o stress e dar continuação ao seu trabalho, talvez com menos cansaço e encontrar alguma forma de não suportar sozinho os custos financeiros inerentes.
    Conheço um outro blogue que solucionou o problema abrindo a colaborações de outras pessoas, também criando a figura do moderador e proibindo colaborações politicas e relacionadas com o futebol e os clubes.
    O moderador nunca teria o seu nome revelado mas teria que ser o Dr. Luís ou alguém de sua total confiança. Mas fosse quem fosse, nunca teria o nome revelado.
    Quanto à parte financeira os custos que divididos não serão elevados, acredito que seria possivel encontrar um consenso, ou alguma forma de participação das pessoas interessadas.
    Concordo com a Dona Céu de que os mais prejudicados e aqueles a quem o blogue fará mais falta, serão os alvaladenses ausentes.
    Trata-se de sugestões que poderão ser melhor estudadas e aprofundadas valendo um esforço de todos.
    Acredito que será para si um grande desgosto e uma frustação, se ao fim de todos estes anos tiver que tomar a decisão de encerrar o espaço que criou com tanto trabalho e dedicação.
    Pense bem e decida melhor.

    António Palmeiro

  5. Manuel F. Neves (Lito) Responder

    10 de Abril de 2012 em 12:26

    Caro Luís,
    Acredita que lamento e vou sentir falta deste espaço!
    É um espaço que tenho seguido regularmente e que me tem permitido ir sabendo da terra que me viu nascer, já lá vão quase 67 anos.
    Espero que reconsideres e não voltes as costas aos “Alvaladenses Ausentes” como eu.
    Abraço e até breve.

  6. admin Responder

    10 de Abril de 2012 em 13:44

    Agradeço a todos as palavras de apoio e os emails que outros alvaladenses e amigos fizeram questão de me enviar, mas neste momento não tenho muito mais a acrescentar do que o que o que está no post, a não ser que a questão financeira relativa aos custos de manutenção da página é a que menos peso tem numa qualquer futura decisão.
    _LPR

  7. Rui Nunes Responder

    10 de Abril de 2012 em 13:48

    Não é fácil, mas será um até logo, nunca um adeus, não se esqueça que existe quem o leia e o entende e Alvalade deve ser maior que os compadrios (se é que os há).
    Um abraço deste primo do sul e um até logo!!!!!

  8. Matilde Oliveira Responder

    10 de Abril de 2012 em 14:50

    Será uma pena porque sou da opinião que o blog tem uma função pedagógica muito importante para um meio pequeno como Alvalade Sado, mas há que respeitar a posição do admin. Mas fica a fazer muita falta, na minha opinião.

  9. José Raposo Nobre Responder

    10 de Abril de 2012 em 15:18

    Caro Luis,
    Julgo que tantos apoios, não só de ilustres Alvaladenses, como do Sr. Arq. Lobo de Vasconcellos, uma das mais destacadas personalidades do nosso concelho, sejam motivos para continuar esta cruzada em prol da nossa freguesia, das mais importantes, senão a mais importante do concelho, a única que tem vestigios históricos e que foi sede de concelho durante mais de três séculos.
    Atualmente a freguesia mais populosa é Santo André em consequência do desenvolvimento industrial e portuário de Sines, local onde eu e seu pai nascemos.
    Alvalade justifica que continuemos a lutar pelo seu futuro. No campo social a Casa do Povo, presidida pelo amigo Luis Silva e a cuja Direção pertenço, tem obra exemplar no concelho com o apoio do Crédito Agricola, tendo já iniciado a Obra do Lar para Idosos e dispondo de um Centro de Dia e equipamento de transportes ao dispor dos carenciados. Se tiver de fazer pausa que seja a mais curta possivel, e se necessitar de apoio conte com os amigos.
    JRN

  10. Maria Dores Amado Responder

    10 de Abril de 2012 em 15:49

    Estou sem palavras….Não me tem sido possível passar por estas “bandas” e agora q o fiz tive esta embaraçosa noticia….vai ser de certo um curto interregno.
    Compreendo o seu desalento, mas “água mole em pedra dura, tanto dá, até q fura”. Os adágios populares dão sempre certo. Desanuvie um pouco e volte rápido que a sua luta faz-nos falta. O seu empenho é apreciado por muitos e a “inveja” será só a última palavra d’Os Lusíadas.
    Não que deixe que o inimigo diga: “olha, ele já se calou”.
    Um abraço grande.

  11. João David Sousa Responder

    10 de Abril de 2012 em 23:42

    Olá Luís Pedro,
    Apesar de poucas vezes fazer comentários no blog, leio sempre com muito interesse todas as notícias que aqui aparecem. Entendo a sua decisão, porque certamente não lhe sobrará muito tempo livre para estar com a família ou para outras actividades que fazem parte da vida.
    Caso o entenda, sugeria que não acabasse com o blog, ainda que, reduzindo o número de entradas de novos artigos, deixando as coisas correr com calma e à medida das novidades. Se entendesse aceitar a sugestão que li acima, de aceitar a entrada de artigos do exterior, fazendo apenas o papel de administrador, dar-lhe-ia certamente menos trabalho e garantia a continuidade deste tão importante elo de ligação entre Alvaladenses e não só.
    De qualquer modo, aqui fica o meu agradecimento por todos estes anos do seu trabalho e dedicação.
    Até breve!

  12. Preciosa Sacramento Alves Agostinho Marques Mendes Responder

    10 de Abril de 2012 em 23:48

    Pelo muito trabalho e dedicação que o alvalade.info lhe deve exigir não me acho no direito de pedir ao Dr. Luis Ramos que não desista.
    Mas digo-lhe com toda a sinceridade que o alvalade.info me irá fazer muita falta se levar por diante a sua decisão de o encerrar.

    Perante a passividade dos alvaladenses, o seu desânimo justifica-se. Mas algo me diz que não deve agora desistir.
    Os temas abordados fazem todo o sentido e começam a surtir algum efeito, a avaliar pelo aumento crescente de opiniões que começam a provocar algum incómodo, o que já é um bom princípio, o alvalade.info não se deve calar!
    Alvalade ficará mais pobre, mais isolada, mais esquecida!
    Compreendo o seu desânimo e o seu cansaço, mas, haja ao menos alguém que continue o seu trabalho, até que o possa e queira retomar. O esforço de todos estes anos não deve ser perdido, tornou-se em um bem com direito a ser reconhecido e preservado.
    Obrigada por tudo o que o alvalade.info nos proporciona.
    Espero que daqui, destes 135 km que me separam da minha terra, possa contar com o Alvalade.info para poder ir a Alvalade todos os dias.
    Preciosa

  13. admin Responder

    11 de Abril de 2012 em 12:12

    Continuo grato pelas vossas palavras de apoio e de reconhecimento, incluindo através dos vários emails que tenho recebido, mas não há muito mais a acrescentar ao que está no post.
    Alvalade tem dois mil habitantes residentes e um conjunto vasto de instituições e colectividades que representam a população e têm a obrigação de defender os interesses da terra, em todas as áreas da vida social alvaladense.

    Há doze anos que escrevo e dou visibilidade ao estado lamentável do centro histórico, à degradação das barreiras do adro, ao desprezo do património arqueológico da freguesia, à promessa do centro cultural e do abandono do cinema (fechado há 30 anos), na necessidade de uma ETAR nova para a vila, dos esgotos da Mimosa que todos os dias são descarregados directamente no rio Sado sem qualquer tratamento, na necessidade do museu, do anel de barracas que cresceu ao redor da vila, entre muitas outras questões. Não sou político nem tenho aspirações a isso. Apenas tenho falado com o coração e transportado para aqui o muito que sofro por ver a minha terra eternamente confrontada com os mesmos problemas de sempre, sem solução à vista e sem que se levantem outras vozes, especialmente daqueles que têm o dever e a obrigação de o fazer, defendendo os interesses de Alvalade e da população que representam.

    Não estou disponível para continuar esta “luta”, quando a maioria dos meus conterrâneos, uns com responsabilidades institucionais outros no âmbito dos seus direitos de cidadania, preferem o conforto do silêncio, do servilismo e da resignação. Ainda que sintam na pele e no dia a dia, os efeitos e os prejuízos disso.
    _LPR

  14. Deusinha Soares Responder

    11 de Abril de 2012 em 14:03

    Imensamente triste.
    Sem mais comentários de momento…

  15. Eulália Gonçalves Responder

    11 de Abril de 2012 em 21:31

    Vou sentir a falta do Alvalade.info, o qual consultava frequentemente, com muito gosto.
    Pela minha parte, dirijo ao Dr. L.P. Ramos um bem haja pelo excelente trabalho de divulgação da História de Alvalade, o qual muito apreciei e a quem todos os que gostam desta terra, na minha opinião, deviam agradecer.

  16. Ana Santos Responder

    11 de Abril de 2012 em 22:03

    São raros os espaços de resistência como este no concelho, onde se põem a nu desassombradamente muitas fragilidades de uma freguesia que tem todas as condições para ser das mais importantes do concelho, mas lutar sozinho contra moinhos de vento é compreensivelmente desanimador. Parabéns LPR pela coragem ao longo deste tempo.

  17. Maria Dores Amado Responder

    11 de Abril de 2012 em 22:19

    Desejo que o Alvalade.info vá de férias uns dias para recuperar do exaustivo trabalho que dá ao Dr. Luis Ramos, mas tem que o trazer de volta depressa pois os Alvaladenses necessitam deste contacto que tem unido os que estão longe da terra, mas perto desta ligação.
    Essa terra anda tão adormecida que se continua a fechar os olhos a tudo nem a feira medieval se salva…

  18. João Correia Responder

    12 de Abril de 2012 em 1:16

    Compreendo o cansaço e o desgaste que te dá a elaboração deste site, onde são poucas as “novidades” da vila, onde dás algum enfase à degradação das zonas históricas e à pouca importancia dada por quem de direito para fazer de Alvalade uma terra com mais pontos de interesse e lazer.
    Acredito que estas “férias” te possam fazer pensar e ter mais um pouco de força para continuar, mesmo que seja com menos intensidade…
    No que toca à parte financeira, talvez possas procurar uns patrocinios publicitários para colocar aqui no site, de certo que a um preço acessivel algumas empresas daqui estariam dispostas a publicitar.
    Não desistas, faz apenas uma pausa…

  19. admin Responder

    12 de Abril de 2012 em 12:21

    Continuo grato pelas vossas palavras.
    Quanto aos patrocínios que o João sugere, não sendo a questão financeira dos custos da página determinante, nem sequer está listada entre os motivos que me levaram a esta decisão, não a irei equacionar.
    Os motivos principais têm a ver com as questões que já referi e que foram crescendo ao longo dos anos.

    As “batalhas” que tenho travado aqui e os problemas a que tenho dado visibilidade e feito alguma pressão, não são para meu benefício pessoal. São questões que deviam ser assumidas por toda a população, que é quem sofre na pele a situação em que está Alvalade. Pressionando, mostrando a sua insatisfação, exigindo respostas e sobretudo um tratamento diferente para a freguesia.
    No pleno exercício dos direitos de cidadania que cada um de nós tem. É a terra que está em causa e sobretudo o seu futuro e a sua sobrevivência.

    Que futuro tem Alvalade quando a terra consegue organizar-se em manifestações e em vigílias contra decisões/questões da responsabilidade do poder central, e se esconde, e fica muda para assuntos e problemas da responsabilidade do poder local?

    Será que os problemas com que Alvalade se debate são apenas da responsabilidade do poder central?

    Porque é que só eu falo assim?
    Do que é que as pessoas têm medo, se todos conseguem ver o mesmo do que eu?

    Apareceu por aqui um tal Chandau….a propósito de um artigo sobre a esplanada do cinema https://www.alvalade.info/?p=12695
    Entre os muitos comentários de pessoas que vieram em minha “defesa”, a propósito desse leitor, NEM UMA ÚNICA DESSAS PESSOAS RESIDE EM ALVALADE!
    É obra! E o artigo aborda um tema que devia merecer o apoio e a atenção da população. O cinema é património de Alvalade e faz falta ao desenvolvimento cultural da freguesia.
    Porque carga de água é que só eu tenho que falar e denunciar estas coisas e levar com os “estilhaços” ao fazê-lo?

    É evidente que não existem condições para manter esta página. Por mil e um motivos, e mais alguns.
    _LPR

  20. António Palmeiro Responder

    12 de Abril de 2012 em 15:20

    Parece-me pelo que tenho lido que a sua decisão é inabalável, é pena, porque o seu trabalho e as posições que tem tomado em defesa de Alvalade, são de uma importância e relevância, sem paralelo.
    Gostaria só de lhe colocar uma questão:
    – Já pensou que um qualquer Chandau e os outros “Chandaus da vida” neste momento estão eufóricos?
    Comentarão felizes que deram um abanãozinho e a casa caiu.
    Compreendendo perfeitamente os seus argumentos, peço-lhe que reflita um pouco mais. Pense nisto!
    Respeitando a sua decisão fico torcendo por uma reviravolta.
    Um abraço,
    António Palmeiro

    • admin Responder

      12 de Abril de 2012 em 18:16

      Amigo A. Palmeiro,

      Ao longo destes 12 anos já apanhei muitos “Chandaus”… E não me fizeram quebrar. Escondem-se cobardemente no anonimato e no pseudónimo, mas são fáceis de identificar.
      A questão aqui é outra.
      _LPR

  21. José Raposo Nobre Responder

    12 de Abril de 2012 em 15:42

    Espero que repense e compreenda que todos os verdadeiros Alvaladenses estão tristes se o Alvalade.info parar, é já uma referência da nossa freguesia.
    O meu Blog Viver Alvalade tem mais a função de recordar o passado, embora por vezes fale do presente. Como sucedeu com o caso da não paragem de comboios.

    Estou a preparar mais recordações do Cinema para que os mais jovens compreendam melhor a triste situação atual daquele espaço no centro da vila.
    JRN

    • admin Responder

      12 de Abril de 2012 em 18:20

      Alvalade neste momento já está bem representada e divulgada na internet, ao contrário do que acontecia há 12 anos atrás quando abrimos esta página.
      Actualmente, todas as instituições e colectividades alvaladenses têm o seu sítio na internet e estão também muito presentes nas redes sociais.
      Existem também vários blogues, como é o caso do seu.
      Por isso, se o alvalade.info sair de cena, Alvalade continuará bem representada na internet, e visível à escala global.
      _LPR

  22. Carmo Candeias Responder

    12 de Abril de 2012 em 20:30

    Triste, muito triste.
    Lamento profundamente a sua decisão Luis, mas também o compreendo muito bem.
    É doloroso sem dúvida trabalhar tanto, com a finalidade não só de informar os Alvaladenses presentes e ausentes dos problemas que pairam sobre a Terra, como também fazer sentir aos poderosos que alguém está atento ao muito que se faz em determinadas freguesias e o nada que se faz noutras, sem que passados tantos anos não visse uma luz ao fundo do túnel.

    Não é gratificante, não é justo, nem tão pouco merece estar sujeito a ser incomodado por pessoas com baixo nivel como foi o caso do tal (Chandau), que mais não é que um hipócrita que talvez a troco de interesses, quis comentar o que não conhece e que nem tão pouco faz parte da areia da sua praia.

    Disponibilizou-se a deitar essa areia para os olhos de todos os Alvaladenses mais atentos e mais corajosos.

    Não é o unico, infelizmente. Se assim não fosse haveria muito mais gente disposta a lutar por tudo quanto Alvalade necessita e merece.

    Contudo, há quem louve o seu esforço e o seu empenho, por isso não desanime.

    Talvez um tempo para descontrair, será confortável e agradável para si. Descanse então.

    Mas nós, ausentes ou não, ficamos a aguardar o seu regresso. Não faça o que os ditos (Chaudaus) desejam. Não lhe vamos dar esse conforto, estaremos sempre ao seu lado, nem que seja para o apoiar e opinar sobre todas as injustiças que nos rodeiam. Nós não sentimos medo.

    Para vivermos e sermos o que somos hoje, sempre tivemos que trabalhar arduamente, com a força e a persistência que existe em nós, sem que para isso fosse necessário fechar a boca para não incomodar os fracos, que só por acaso são poderosos…

    Obrigado, Luis. Até logo.

  23. Maria Ângela de Atayde Responder

    12 de Abril de 2012 em 20:31

    “Ficas para sempre responsável por aquele que cativaste”, disse a raposa ao Principezinho.

    Também o Alvalade.info, nos cativou e isso é uma grande responsabilidade!
    O Alvalade.info é um espaço importantíssimo de reflexão e de partilha, certamente útil a todos os que querem servir Alvalade. É uma lufada de ar fresco e, sobretudo, uma pedrada que agita as águas deste charco de imobilismo em que Alvalade se tornou.
    Deixo-o com Fernando Pessoa:

    “………………………
    O sonho é ver as formas invisíveis
    Da distância imprecisa, e, com sensíveis
    Movimentos da esperança e da vontade,
    Buscar na linha fria do horizonte
    A árvore, a praia, a flor, a ave, a fonte
    Os beijos merecidos da Verdade.”

    Faça uma pausa…. respire fundo e… continue

    Até breve!

  24. Manuela Aleixo Responder

    12 de Abril de 2012 em 22:01

    Lamento bastante a pausa do Alvalade.info. Sou, quando o tempo disponivel me permite, frequentadora da página, e fico de facto muito triste com a noticia que acabei de tomar conhecimento.
    Daqui envio os meus parabéns ao Dr. Luis Pedro pelo exemplar trabalho que tem desenvolvido ao longo de todos estes anos em defesa dos interesses da nossa terra.
    Fico esperando que seja uma decisão temporária, para bem de todos os Alvaladenses.
    Um abraço e muita força…

  25. Jorge Severino Responder

    12 de Abril de 2012 em 22:03

    No concelho não existe em mais nenhuma freguesia um site como este e se acabar será lamentavel mas quem está nelas é que sabe com que linhas se cose. Quem conhece minimamente a realidade do concelho de Santiago sabe perfeitamente que o mister Chandau não veio cá por mero acaso dar o seu sinal de vida mostrando-se!!! J. Severino

    • admin Responder

      13 de Abril de 2012 em 12:05

      Sei bem qual é mensagem implícita no comentário do Sr. Chandau. Já ando por cá há uns anitos…
      Mas aquele comentário serviu sobretudo para saber com quem posso contar, ou não. O que tenho defendido aqui são os interesses da terra, conforme posso e sei. Se alguém vem aqui meter isso em causa e depois não aparece ninguém da terra que conteste estes “Chandaus” isso quer dizer muita coisa. Nomeadamente, com quem posso contar para continuar esta “cruzada”. Ficou registado. É apenas mais uma decepção a juntar a muitas outras que se somaram ao longo dos anos.
      _LPR

  26. admin Responder

    13 de Abril de 2012 em 12:10

    Agradeço os últimos comentários de apoio, mas não tenho muito mais para vos dizer nesta altura.
    _LPR

  27. António Palmeiro Responder

    13 de Abril de 2012 em 14:53

    Não vou mais insistir! Penso que quando tomou a resolução, a mesma foi devidamente ponderada e repensada.
    Quero só reportar-me ao seu penúltimo comentário e dizer-lhe que tem razão.
    Quando esse tal sujeito ou pseudo sujeito, escreveu as “bacoradas” que escreveu, ninguem saiu em sua defesa, pessoas que hoje lamentam a sua decisão (incluindo eu).
    Só posso falar por mim e quero dizer-lhe que não o fiz por na ocasião não ter valorizado o episódio, penso que com outras passoas se terá passado o mesmo. Verifico agora que foi um erro.
    O velho ditado de que “vozes de burro não chegam ao céu” foi aqui mal aplicado e a zona de conforto em que ficámos não foi a melhor decisão.

    António Palmeiro

  28. Eufrásia Veríssimo Responder

    13 de Abril de 2012 em 15:29

    Lamento sinceramente o fim do Alvalade.Info, vou sentir muito essa falta, pois todos os dias tinha a preocupação de o consultar.

    Dr.Luís Ramos, sou solidária com todas as palavras de apoio e apreço que lhe foram dirigidas. Todas as pesquisas, os factos históricos, os deliciosos documentos do Sr. Padre Jorge que trouxe ao nosso conhecimento, pode crer que nos enriqueceu muito.

    Para os que estão fora da terra é uma perda muito grande, para os que aí vivem (nem todos) noto alguma indiferença, o que é estranho…

    Fico na esperança que esta pausa não seja definitiva e muito obrigada por toda a informação que chegou até mim, em todo este tempo.

  29. Carmo Candeias Responder

    13 de Abril de 2012 em 19:18

    Fico com a esperança do Alvalade.info vir ainda a ser o despertar de muita gente adormecida.

    Parabéns ao Luis e a todos os Alvaladenses que não têm medo de ditar em público a mágoa da sua alma.

    Escrevi para voçês:

    Alvalade… terra meiga, tranquila mas distante
    Saudades desvairadas, pairam em mim
    Tens luz, beleza, cândura sem fim
    Tens o mistério da liberdade cantante

    A tua alma, está cravada de dor falante
    Num silêncio, de trevas amargas sem fim
    Lágrimas densas, de raiva e revolta assim
    Calúnias, mal dizer, injustiça gritante

    Ergue-te Terra, com a dignidade que merece a tua história
    Ignora o mal dizer, na inveja que transparece rancor
    Esquece… palavras em penumbra vil e atentatória

    Alvalade…chamai com garra teus filhos de grande memória
    Aclamai o encanto dos teus rios, pontes, fontes, paisagens de amor
    Monumentos erguidos, esquecidos… pedindo glória.

  30. Mariana Banza Responder

    14 de Abril de 2012 em 1:00

    Só hoje, através de uma amiga, soube da decisão do encerramento da página.

    Este artigo foi de longe o que mais comentários suscitou. Grande prova que efectivamente o Alvalade.info faz falta.
    Não vou pedir-lhe que continue, porque entendo o que sente e entendo que só ao Luis cabe essa decisão. Mas posso garantir-lhe que fico muito triste com isso e que Alvalade fica mais uma vez a perder…

    Se a sua decisão fôr irrevogável, resta-me agradecer a dedicação e o empenho, que de uma maneira tão altruísta, sempre colocou ao serviço da comunidade Alvaladense, em forma de transmissão de factos, divulgação e promoção da Vila. Muito Obrigado Dr.Luis Pedro!

    P.S. Acredito que um dia volte (on line) ao nosso convívio.

  31. admin Responder

    14 de Abril de 2012 em 10:11

    Caros conterrâneos,

    Durante estes doze anos divulguei aqui a História e o património da nossa terra. Defendi ideias e a identidade alvaladense.
    Relembrei e dei visibilidade a promessas não cumpridas, que afectam directamente o futuro da freguesia e a qualidade de vida da população.
    Protestei veementemente contra os 30 anos de abandono do cinema, que é tão só uma das páginas mais negras e escandalosas da história contemporânea de Alvalade.

    Quando ao longo deste tempo reclamei contra o desprezo do centro histórico, que teve promessa de requalificação durante 3 ou 4 mandatos consecutivos, e que nunca foi cumprida….quando ao longo destes doze anos reclamei contra os 30 anos de abandono e encerramento do cinema,
    entre outras questões….não estive a pedir nada para mim.

    É a qualidade de vida e identidade alvaladense que estão em causa. É o futuro da freguesia que também aqui se joga. É o futuro dos vossos filhos e netos, que não têm um espaço de cultura e recreio onde possam ter teatro, cinema, uma pequena biblioteca, exposições, etc. É o futuro dos vossos filhos e netos que está em causa quando não têm sequer um parque desportivo digno desse nome.

    Quando defendo e reclamo por uma intervenção de requalificação e valorização do centro histórico….não protesto nem peço nada para mim. É a qualidade de vida dos habitantes e os investimentos dos comerciantes e empresários desse sector da vila que estão em causa, que têm feito um esforço muito significativo para melhorar os seus negócios e habitações, mas que depois isso não é complementado com a valorização dos espaços públicos, tornando-os apelativos e com capacidade para atrair visitantes e com isso ajudar a dinamizar a economia local. Todos os habitantes e empresários desse sector da vila sofrem com as roturas constantes no abastecimento de água, os cortes de energia eléctrica, ou os esgotos que correm pelas ruas depois de uma chuvada mais forte. Todos são prejudicados com isso. Sem excepção!
    Não andei aqui a falar do centro histórico para meu benefício pessoal.

    Quando reclamo pelo museu e protesto contra a interrupção do trabalho da arqueóloga, que é importante para a conclusão do museu….não estou a pedir nada para mim. O museu valoriza Alvalade. E pode ajudar a dinamizar o centro histórico e contribuir também para a economia local. Nem UMA ÚNICA VOZ se fez ouvir em Alvalade contra isso!

    Quando ao longo destes doze anos divulguei e promovi, desinteressadamente, largas dezenas de eventos e iniciativas das instituições locais, nalguns casos enviando também pequenos comunicados de imprensa para as redacções dos órgãos de comunicação social nacionais e locais….isso é trabalho para a terra. Trabalho gratuito, muitas vezes com sacrifício do meu tempo pessoal e profissional.

    E depois disto, aparece por aqui um indíviduo camuflado com um pseudónimo, que coloca tudo isso em causa…..e não tenho UM ÚNICO alvaladense residente que venha em minha “defesa”? Acreditem que não há nada mais decepcionante.

    Quando esse Chandau apareceu, onde é que estavam aqueles por quem me bati ao longo de doze anos?

    Onde é que estiveram aqueles que me pediram favores e a divulgação de iniciativas ao longo destes doze anos?

    Simplesmente…..não estiveram.

    Não sou eu que encerro esta página. É Alvalade.

    _LPR

    • Preciosa Sacramento Alves Agostinho Marques Mendes Responder

      14 de Abril de 2012 em 22:30

      O “Chandau” parece-me que nem existe!
      Mas “Chandaus” que não são capazes de dar a cara nem o seu verdadeiro nome, há-os por todo o lado e em muitas situações. Eles falam e não dão a cara porque nem a si próprios se convencem daquilo que dizem. Sabem que o que dizem não faz sentido, são mentiras mas, com isso, servem interesses instalados que envolvem também os seus.
      Não podem nem devem ser motivo de travão à sua maravilhosa obra: -alvalade.info
      Quando eu vi o comentário do “Chandau”, pensei: – “Alguma coisa está a começar a mexer!”.
      Estava longe de imaginar que aquele “Chandau” pudesse provocar estrago. Ele nem comentários merecia (no meu entender claro!).
      Já a passividade do povo de Alvalade, perante tanta incúria e abandono… Isso sim, pode ser muito desencorajador!
      – Mas receio que tudo possa estar explicado numa célebre frase, que nem sei de quem é (ouvi-a ainda no tempo do fascismo): – Cada povo tem o regime político que merece.
      Há também quem lhe chame brandos costumes.
      Outros: água mole em pedra dura, tanto dá até que fura…
      Eu, que afinal também sou alvaladense, fico com a esperança que não nos deixe, que volte logo.
      Até sempre.

  32. José Raposo Nobre Responder

    14 de Abril de 2012 em 17:05

    Amigo Luis, compreendo todas as razões que apresenta porque comecei como dirigente associativo aos 18 anos, quando os estatutos impunham a idade minima de 21 anos, na Sociedade Recreativa, época em que conheceu os maiores exitos. Quando saí, entrou uma direção que provocou a extinção. A seguir fui um dos fundadores do Futebol Clube Alvaladense e dirigente nos periodos que desportivamente mais se destacou. Atualmente nem sou sócio, depois de atitudes pouco corretas pedi a suspensão de associado. Em ambos os cargos conheci incompreensões.
    Passei por autarca e segui a atividade nos corpos gerentes da C. do Povo, considero que estou blindado, ou vacinado, para resistir aos “ditos” dos que nada fazem e só se preocupam em criticar, esta a razão que continuo a pedir-lhe que não desista. Realmente as pessoas não se mobilizam para lutar pelos seus direitos, por isso dizem que somos “um povo dos brandos costumes”.
    JRN

  33. Maria Dores Amado Responder

    14 de Abril de 2012 em 22:44

    Luis, esqueça o “lacrau” e não deixe que uma ovelha ranhosa estrague um bom rebanho. Continue a ser o Bom pastor e leve a água ao moinho …..dê uma pausasinha aos seus sentimentos magoados e sofridos ….e volte tal qual você é.
    Creio q me vou repetir “vozes de burro não chegam ao Céu”…
    Um dia conto-lhe uma que me disseram, depois de eu ter dado tudo por uma associação….em plena Assembleia geral…..foi há quase 30 anos, mas ainda um dia destes o envergonhei na rua…
    A vida é feita de prós e contras……

  34. Maria Dores Amado Responder

    16 de Abril de 2012 em 9:00

    Deverá ler-se……ovelha ronhosa estrague um bom rebanho.
    Uma óptima semana de paz e reflecções positivas………p’ra frente é que é o caminho……

  35. José Zacarias. L. Pereira Responder

    17 de Abril de 2012 em 16:28

    Boa tarde amigo Luís.
    Tive conhecimento desta tua pausa, mas não pensei que fosse definitiva. Não deixes que outros ganhem o espaço que tu conquistaste, pode-se dizer com muito mérito e sozinho, isso seria dar-lhes algum valor, que não o têm e que nada fazem por Alvalade. Ignora-os simplesmente, como tu sabes não é fácil o relacionamento com pessoas que só sabem dizer mal de tudo e não fazem nada para modificar as coisas, espero que reconsideres, e já sabes que podes contar sempre comigo.

    Um abraço,

  36. admin Responder

    17 de Abril de 2012 em 18:04

    Obrigado a todos, pelas vossas palavras. Não há muito mais a acrescentar ao que já escrevi. Só iria repetir-me.
    _LPR

  37. Maria João Madeira Responder

    18 de Abril de 2012 em 2:09

    Boa noite.
    Ninguém pode negar a importância que esta página tem tido para Alvalade, sobretudo para os alvaladenses ausentes que assim se sentem mais perto da sua terra. Ao longo dos anos o Alvalade.info tem realizado um trabalho fantástico na divulgação da freguesia e na abordagem de temas pertinentes para a terra. Os posts, quer sejam notícias, apontamentos históricos, pontos de vista ou chamadas de atenção para alguns assuntos, têm tido bastante feedback e claro que esse feedback se manifesta mais da parte dos que estão fora e que procuram mais frequentemente esta página, ansiosos por notícias ou por momentos de maior proximidade às suas raízes.
    Também eu consulto a página com alguma frequência… também eu e tantos outros alvaladenses damos conta dos problemas que aqui são referidos… também eu e todos os alvaladenses os gostaríamos de ver solucionados! Mas a nossa preocupação não se mede pelo número de comentários que aqui deixamos… aliás, quando o Luis Pedro diz:
    “Quando reclamo pelo museu e protesto contra a interrupção do trabalho da arqueóloga, que é importante para a conclusão do museu….não estou a pedir nada para mim. O museu valoriza Alvalade. E pode ajudar a dinamizar o centro histórico e contribuir também para a economia local. Nem UMA ÚNICA VOZ se fez ouvir em Alvalade contra isso!”
    Não está com isso a querer dizer que o seu objectivo é “acordar” aqui os problemas para que o povo se manifeste na rua, é?
    Todos nós conhecemos as carências, problemas e abandono que caracterizam actualmente a nossa freguesia… mas esta terra não vive de comentários lançados na internet. Uma grande parte da população não tem acesso a este tipo de informação, e quando se reúnem pessoas para qualquer manifestação, quem são estas pessoas? São exactamente aquelas que estão nesta situação! Queiramos ou não, aqui, em Alvalade, a palavra é passada boca a boca… E haja quem seja o primeiro a erguer essa voz! Como o Luis Pedro faz aqui… haja quem o faça nas ruas! Tenho a certeza que haverá quem tenha essa capacidade, de mobilizar, de entusiasmar todos pela mesma luta…
    Mas a tarefa que Alvalade tem pela frente é dificil, não só pelos tempos que correm, mas pelo acumular de problemas ao longo de anos e anos resultantes do esquecimento a que fomos remetidos, resultantes do facto de dependermos de outros para podermos avançar…
    Hoje em dia, é certo, as pessoas estão mais pessimistas, acomodadas e egoístas devido a toda a conjuntura em que vivemos… o que não quer dizer que não pensem no que está errado, no que gostariam que mudasse…
    E é aqui que entra o papel preponderante do Alvalade.Info… que não deixa adormecer os problemas, que levanta questões importantes, que estimula a discussão saudável e a partilha de pontos de vista, mas que, simultaneamente, trás as notícias da terra a quem está longe, dá a conhecer ao mundo a história, património e cultura de Alvalade e coloca a nossa freguesia em destaque na aldeia global.
    Com tudo o que Alvalade tem perdido ao longo do tempo, seria desastroso se e perdesse também aquilo que nos distingue de tantas outras freguesias e mesmo sedes de concelho… um local global que é um ponto de encontro com Alvalade!
    Portanto, Luis Pedro, talvez seja melhor reconsiderar se aquilo a que se propôs quando iniciou esta página foi “angariar” comentadores ou quem o defenda perante “Chandaus” ou se foi simplesmente fazer aquilo que tem feito até agora e que é, sem dúvida, digno de reconhecimento…

    Habitualmente eu leio e não comento… porque não é necessário fazê-lo!
    As respostas que recebe dos não residentes deveriam ser motivo de honra suficiente para não os privar deste espaço.

    Cumprimentos

    • admin Responder

      18 de Abril de 2012 em 12:06

      Muito obrigado pelas suas palavras de reconhecimento sobre o alvalade.info.
      A minha decisão é fundada em vários factores. O pseudo-caso “Chandau” não é relevante, até porque ao longo destes doze anos já apanhei vários Chandaus, que nunca me vergaram nem amordaçaram perante as situações de injustiça com que vi a minha terra confrontada.

      Há muitas formas para as pessoas se manifestarem quando se sentem injustiçadas ou quando acham que a sua terra devia ser melhor tratada. Nunca pretendi, nem tenho esse direito, que os alvaladenses se manifestem na rua. Fá-lo-ão quando o entenderem. E já o têm feito. Já se manifestaram na rua reclamando as obras na ponte dos arcos pela Estradas de Portugal, já o fizeram na estação da CP a favor dos comboios, já fizeram vigílias e protestos a favor da manutenção dos serviços de enfermagem no posto médico, e já se manifestaram na rua contra o encerramento da estação dos CTT, entre outras. E fizeram bem. É um direito que lhes assiste. E na maioria dos casos, os protestos dos alvaladenses surtiram efeito.

      Infelizmente, do meu ponto de vista, os mesmos que organizaram e encabeçaram as manifestações e protestos acima mencionados, nunca tiveram coragem para fazer o mesmo contra o encerramento do posto de turismo da Mimosa, contra os 30 anos de abandono do cinema, contra o abandono e desprezo do centro histórico, contra os 15 anos em que estamos à espera que seja cumprida a promessa de requalificação da praça D. Manuel I, contra os esgotos da Mimosa que há quase meio século são descarregados directamente no rio Sado sem qualquer tratamento, contra a interrupção dos trabalhos de arqueologia no futuro museu e a dispensa da arqueóloga, contra a falta de um parque desportivo para os jovens, etc, etc. Que quanto a mim, são igualmente temas importantes e directamente relacionados com o desenvolvimento de Alvalade. Não vou dissecar aqui as razões que no meu entender justificam isso. No geral, todos nós as conhecemos.

      Em todo o caso, existem outras formas de protestar sem ser nas ruas. A internet, é um desses meios. Se as pessoas manifestarem o seu desagrado e a sua insatisfação, isso mostra aos diversos poderes que a população não está conformada, não se resigna e exige um tratamento diferente. É também uma forma de pressão que pode forçar decisões. E protestar é um acto de cidadania, de quem paga impostos e tem o direito de reclamar e exigir outros níveis de qualidade de vida e desenvolvimento na comunidade onde vive.

      Há muito que protesto e dou visibilidade a causas e casos que devem ser partilhados por todos os alvaladenses. Publicamente. Mostrando a sua insatisfação de várias formas. Na rua, na internet, escrevendo cartas aos seus representantes, ou da forma que entenderem. O silêncio prejudica a terra e tem levado a que se tenham somado todos os atrasos que a Maria João também reconhece. Estou cansado, desmotivado e muito triste por ver a minha terra no estado lamentável em que caiu.
      Sou confrontado muitas vezes com pedidos para falar de outros temas. Ainda recentemente fui abordado para falar das duas gruas que estão na entrada da vila. Antes já o tinha sido também, em várias ocasiões, para escrever sobre o estado da igreja matriz que necessita de uma pintura geral e de uma intervenção de requalificação das barreiras do adro, entre vários outros assuntos e pedidos. Na rua e por email, há pessoas que me pedem para fotografar e escrever sobre esta ou aquela situação.
      Não posso nem irei por esse caminho. Não sou a voz de Alvalade e dos alvaladenses. Nem tenho pretensões a justiceiro.

      Peço que comprendam isso e respeitem a minha decisão.

      Alvalade tem representantes políticos, tem eleitos locais a quem foram confiados mandatos para defenderem os interesses da terra e da população, e tem também um conjunto muito importante de instituições e forças vivas que também têm a obrigação de velar pelos interesses locais, seja junto do município ou do poder central.

      _LPR

  38. Ana Santos Responder

    19 de Abril de 2012 em 10:35

    Os argumentos do Luis Pedro Ramos são compreensíveis e é interessante observar pelos comentários que os Alvaladenses que residem fora ficam mais sentidos do que os que vivem na vila. Já o disse em cima que a página é uma das raras tribunas de resistência no concelho, que não tem peias em exigir mais para Alvalade e não é só a terra que fica a perder mas também o concelho vai ficar mais pobre porque perde massa crítica que hoje em dia tanta falta vai fazendo.

  39. Matilde Oliveira Responder

    22 de Abril de 2012 em 13:46

    Nota-se bastante que os comentários do admin. da página têm um tom de despedida, de mágoa e tristeza. Por aquilo que conheço da terra ao longo dos ultimos anos a tendência é para tudo ir ficando cada vez pior a todos os niveis.

  40. Manuel F. Neves (Lito) Responder

    23 de Abril de 2012 em 14:07

    Caro Luís,
    Vamos ou não continuar a contar com a tua página para manter a luta pela evolução da nossa terra e o bem estar dos Alvaladenses, sobretudo os presentes/residentes?
    Gostaria muito de poder participar, não sei bem como, na hipótese, não só da criação do Museu de que muito se tem falado neste artigo, como, por exemplo, numa boa biblioteca, sobretudo para a nossa juventude, que, presumo não existe. Além disso, não sei se está no pensamento dos Alvaladenses, por exemplo um núcleo gimnodesportivo, ou pelo menos um ginásio com uma piscina para lazer da população.
    O cinema, como sabemos, com os videoclubes agora já integrados nos serviços de televisão, talvez não faça muito sentido. Contudo uma sala de espectáculos que poderia ser o “Cinema Alvalade” onde se pudessem fazer peças de teatro tanto local como itinerante, exposições de várias actividades, ou fazer colóquios sobre variadíssimos temas, seria do meu ponto de vista de utilidade para a terra e para as gentes de Alvalade-Sado.
    É claro que outras e melhores ideias poderão ser postas à discussão e, com a ajuda de organismos e/ou instituições com boa vontade, poderão ser levadas por diante.
    Talvez seja tarde para que estas ideias possam agora ser levantadas. Creio, contudo, que poderá ser uma contribuição para poder mobilizar os meus queridos conterrâneos para acções que possam desenvolver e dignificar a nossa terra e manter esta página que nos une.
    Um abraço do,
    Lito

  41. Maria Dores Amado Responder

    24 de Abril de 2012 em 20:46

    Ó tempo, volta pa trás…….traz o “site” do volta…….Umas férias fazem sempre bem, mas as férias são só umas semanas. Estamos em crise, não se pode perder mt tempo….aguardamos….

  42. admin Responder

    25 de Abril de 2012 em 13:43

    De todos os intervenientes/comentadores deste artigo, apenas 9 são alvaladenses residentes num universo de cerca de 2 mil habitantes. São números curiosos.

    Compreendo os apelos dos alvaladenses ausentes e a sua ligação à terra que os viu nascer. E também compreendo os seus argumentos.
    Mas eu tenho outros elementos e um conhecimento mais largo do “mundo” alvaladense, onde se alicerça a minha posição.
    Por isso, volto a pedir-vos que compreendam e aceitem os meus argumentos e a minha decisão.

    _LPR

  43. Rui Nunes Responder

    28 de Abril de 2012 em 16:54

    Caro Luis, a decisão de deixar de nos dar as noticias de Alvalade e seus arredores é sua sem dúvida, um direito seu, como eu já disse um dia é dificil ajudar sem estar ai, mesmo mandando e-mail, mas ontem, não tinha ninguem da terra e hoje já tem 9, parece nada, mas representa que as suas palavras estão a chegar ao sitio certo, não se estão a perder ao vento, começa a haver feedback, demorou tempo?
    Tudo leva o seu tempo, não se esqueça de que a verdade é como o azeite num copo de água, demora tempo a vir ao de cima mas no fim aparece, a internet é sem duvida um elo enorme de comunicacão, eu que estou sempre involvido em projectos de media, sei disso muito bem, mas nada bate o envolvimento pessoal e continuo a acreditar que o futuro de Alvalade está na juventude, o que o senhor faz pela terra e região, deveria ser mais respeitada, mas mais importante, deveriam ser aproveitadas as suas ideias, pois dos politicos a gente já sabe da história…
    Ando nestas terras da America há mais de 20 anos, de um lado para o outro, agora na Florida, sempre a contar historias dos Portugueses e nestas paragens promovo comunidades por onde passo, assim como os negocios, promovo a nossa cultura e por onde andei, outros Chandaus andam isentos de ideias, gostam da confusão, mas eu não me promovo a mim, eu promovo os Portugueses e a nossa cultura, naquilo que escrevo ou filmo, e voçe promove a sua terra, e a sua região, esse “oscar” ninguem nos tira e fique orgulhoso, pois existem coisas que o dinheiro e a vaidade não conseguem derrubar, um verdadeiro homem, com eles nos sitios.
    Nao lhes dê espaço, continue a ser o mesmo, lute pelo que acredita ser justo eu por aqui faço o mesmo…um abraço deste vossso primo do sul, da américa, até logo…

  44. admin Responder

    28 de Abril de 2012 em 18:29

    Desde há algum tempo a esta parte que este espaço está mais centrado na história e no património da terra. Falamos aqui do que Alvalade tem de bom relativamente a essas matérias, do que está mal e pode ser melhorado e das promessas que ao longo do tempo têm sido feitas e repetidas mas que teimam em não ser cumpridas.
    As notícias generalistas do quotidiano alvaladense raramente entram nesta página uma vez que as instituições locais têm os seus canais de informação na internet e conseguem levar as novidades da terra aos quatro cantos do mundo.

    Nestes doze anos on-line fiz o que me foi possível e esteve ao meu alcance, sabendo que nem sempre terei sido justo nalgumas coisas que escrevi, mas no geral julgo que contribui um bocadinho para promover a história e a identidade de Alvalade. E se isso ajudou também a divulgar Alvalade, já dou o tempo e os meios gastos por bem empregues.

    Dei visibilidade a questões e a problemas relacionados com o património alvaladense, que poucos ousam reclamar e protestar junto de quem tem capacidade e poder para os resolver. Fazendo-o quase sempre sozinho.
    Foram doze anos consecutivos alertando, pressionando e colocando a nú muitas situações que há muito eram para já ter sido concretizadas ou resolvidas.
    Sei que me vou repetir, mas não compreendo nem aceito que o cinema de Alvalade tenha sido comprado para estar fechado nos 30 anos seguintes. Julgo que nenhum alvaladense de bom senso consegue perceber ou aceitar isso.
    Ou a Praça D. Manuel I, que há 15 anos aguarda que a promessa da sua requalificação seja concretizada.
    Ou os esgotos da Mimosa, que há quase 50 anos são descarregados directa e diáriamente no rio Sado, sem qualquer tratamento e destruindo todos os dias um bocadinho da biodiversidade de um dos mais importantes cursos de água da freguesia. Um rio que em muitas alturas do ano fornece água para regar algumas culturas nos terrenos ao redor da vila. Todos nós vemos os motores de rega no leito do rio, a bombear a água da ribeira para as culturas ao redor da vila. E todos vemos os esgotos da Mimosa a entrarem no rio ao lado da Ponte dos Arcos. Em pleno século XXI isto é inacreditável e inadmissível. Alguém parece preocupar-se com isso?
    Eu não tenho ouvido nem lido nada sobre isso.
    São apenas algumas situações ou exemplos de problemas que Alvalade já não devia ter. Outros mais existem e podiam ser carreados para aqui.

    Uma andorinha sozinha não faz a primavera….
    Cansei-me e estou saturado de falar quase até à exaustão sobre a necessidade e a urgência de Alvalade solucionar estes e outros problemas ou pressionar junto de quem de direito para os ver resolvidos. Infelizmente, não vejo estes temas entre as preocupações da terra.
    Certamente haverão outras coisas mais interessantes e prioritárias, e portanto resta-me respeitar isso e “sair de cena”.
    _LPR

  45. José Raposo Nobre Responder

    29 de Abril de 2012 em 12:23

    Amigo Luis, volto a comentar a pausa no seu importante site Alvalade.info. Tudo o que escreveu durante estes anos não caiu “em cesto roto”, alertou com insistência para vários problemas e carências desta terra, todos são totalmentejustos. Estou convencido que com o tempo tudo se resolverá, não se advinha o futuro, mas a esperança nunca deve morrer.
    Concordo com os argumentos muito bem descritos do Lito e do Rui Nunes pelos quais sinto amizade e muita consideração. Do Lito, quando nasceu, vieram dar a informação à loja do patrão e eu disse: nasceu um espanholito, creio que dai resultou um apelido, quando visitei a Galiza estive em Orense e recordei o amigo Salvador Leon.
    Do Rui recordo de passar muitos momentos na papelaria comigo e com a Maria e do subsídio que ele e o irmão conseguiram nos Estados Unidos e que ajudou a construir o Centro de Dia.
    São dois belos exemplos de dedicação a Alvalade, um porque aqui nasceu, outro por ser a terra de seu pai. Cito estes dois nomes, sem deixar de admirar e respeitar as demonstrações de interesse de todos os que têm demonstrado empenhamento na continuidade do Alvalade.info depois da pausa.
    O meu blog Viver Alvalade, de caracteristicas diferentes, também vai fazer pausa nos meses de férias de Verão.
    JRN

    • admin Responder

      30 de Abril de 2012 em 12:49

      Sr. Nobre, olhe que não estou assim tão convencido de que os alertas sobre os temas e problemas que temos aqui dado visibilidade, tenham surtido grande efeito. Se o tiveram, foi muito residualmente e com pouca expressão.
      _LPR

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.