Início » Últimas » Turistas em Alvalade

Turistas em Alvalade

autocaravanaSobretudo na Primavera e no Verão, é frequente ver alguns turistas em Alvalade quase sempre nas ruas do centro histórico. Regra geral são casais de meia idade, estrangeiros e portugueses, mas também alguns jovens. Observam a fachada da igreja da Misericórdia, o pelourinho, e vão também até à igreja matriz e adro. Alguns destes turistas já têm sido vistos também a caminho da ponte romana. Acreditamos que serão visitas muito curtas porque os motivos de visita e de interesse em Alvalade são actualmente escassos. Não tem sido possível reabrir a Misericórdia, sobretudo para permitir a visita à exposição de arqueologia “Pedras com História”, inaugurada durante a feira medieval de 2014, enquanto não é criado, definitivamente, o núcleo museológico de arqueologia. A igreja matriz, tida como uma das mais bonitas e importantes do Alentejo Litoral, não tem ainda um plano ou horário de abertura para fins turísticos e respectiva divulgação. O património natural continua ainda carecido de percursos pedestres definidos/marcados e pontos de observação da natureza, entre outros. Que bem podiam integrar algumas jazidas arqueológicas da freguesia, que são um recurso importante e com potencial reconhecido mas que carecem de escavações e estudos sistemáticos para aferir se alguma delas reúne condições para um projecto de musealização in situ, como já acontece em várias regiões do país. Sem isso, nenhuma delas pode ser aproveitada e integrada num qualquer roteiro/percurso na freguesia. O espólio do Posto de Culturas Regadas, que é único na região, permanece à espera de um projecto que o rentabilize do ponto de vista turístico-cultural. Neste contexto, resta pouca coisa aos turistas que visitam Alvalade…

Em matéria de alojamento turístico, Alvalade é agora uma das raras ou mesmo a única freguesia do concelho sem qualquer cama, depois do encerramento do Hotel Rural da Daroeira. O projecto de revisão do Plano Director Municipal (PDM), cuja discussão pública termina no próximo dia 1 de Junho, defende a reabilitação do centro histórico de Alvalade, a criação do núcleo de arqueologia, e sinaliza Alvalade como uma freguesia que deve apostar (…) no seu ambiente de marca ALENTEJO e nos seus valores urbanos locais, com alojamentos de «charme» e ligação às actividades agrícolas“. O desenvolvimento turístico de Alvalade depende, por isso, da vontade política do município, no que toca à reabilitação do centro histórico, da criação do núcleo de arqueologia e de outros equipamentos culturais complementares, e da capacidade da freguesia para gerar e atrair investimentos privados de alojamento turístico.

_LPR

5 Respostas a Turistas em Alvalade

  1. José Raposo Nobre Responder

    29 de Maio de 2015 em 11:28

    Na verdade tenho visto a passagem de turistas, sobretudo excursões de pessoas idosas, mas nada encontram de interesse, apenas o Pelourinho. A Igreja está fechada, o Museu é uma miragem, a Ponte romana não tem acesso fácil, a restauração e camas não existem, apenas podem beber um café ou comer uma bifana.
    Há muito para fazer, mas a Junta de Freguesia não tem condições económicas, as verbas que recebe da Câmara são para pagamento das Despesas Correntes. Com a abertura do Lar de Idosos, aumentou o número de visitantes, alguns com familiares e amigos internados pela Segurança Social e aproveitam para visitar a Vila, famosa pela Feira Medieval.
    JRN

  2. Maria Ângela de Atayde Responder

    29 de Maio de 2015 em 12:20

    Admiro, como já disse muitas vezes, a extraordinária lucidez do Sr. José Nobre!
    É certo que a Junta não tem condições económicas mas, muito se pode fazer com imaginação e mobilização dos habitantes. Dou como exemplo as barreiras do adro: Acredito piamente que não haja dinheiro para realizar o projecto que foi feito há uns anos. No entanto, uma rede colocada na barreira, umas heras plantadas, dar-lhe-iam um aspecto completamente diferente e ajudariam a travar a erosão. Basta ver o lado norte onde elas proliferaram sozinhas…..
    As hortas, tão úteis e tão importantes….com um aspecto melhorado seriam fonte de atracção e não o contrário.
    Etc., etc., etc.

  3. Matilde Oliveira Responder

    29 de Maio de 2015 em 14:40

    É pena que Alvalade não tenha uma simples residencial ou um turismo rural porque acho que podia ser bom para a terra.

  4. Francisco Lobo de Vasconcellos Responder

    29 de Maio de 2015 em 18:25

    A mudança tem de acontecer e todos estarem envolvidos, mas sem se esperar que o Estado/autarquia faça alguma coisa:
    Sabemos que, infelizmente, as autarquias movem-se por interesses, nem sempre os melhores, nem os mais estratégicos.
    E o concelho de Santiago do Cacém é mais um exemplo.
    Acho que a mudança se faz de baixo para cima, cada vez mais: devem ser os próprios, os comerciantes, os investidores, que devem ir para a frente, devem acreditar nos seus projectos, devem promovê-los, vendê-los e angariar clientes sem estar à espera que a autarquia faça alguma coisa.
    Cada vez mais o Estado só atrapalha, não tem verbas nem ideias de futuro…apetece dizer “saiam da frente”!
    Acredito que haverá potencial em Alvalade para certos negócios (restauração, alojamento, produtos regionais), que com boa promoção poderiam trazer mais pessoas…mas essa promoção teria de ser concertada e partir dos interessados que teriam de apresentar produtos de qualidade, genuínos, bom serviço, óptimo acolhimento, com uma marca identificadora!

  5. Céu Bougron Responder

    30 de Maio de 2015 em 15:47

    Há um lugar bonito em Alvalade para ser reabilitado em turismo rural….Penso na estação dos caminhos de ferro. É uma verdadeira pena ver aquele sitio abandonado. Penso nos azulejos e a vista para a várzea. Também o posto de culturas regadas teria muita graça reabilitado em hotel. Penso que ideias há muitas, faltam os capitais.
    Até breve.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.